SANTIDADE COMEÇA COM ARREPENDIMENTO VERDADEIRO E SINCERO

O Apóstolo Paulo estava admirado como a Igreja tão rapidamente se desviou do Evangelho: Gl. 3:1-4. E do mesmo modo a Igreja recente tambem tem se desviado do Evangelho e por isso este é um alerta para a Igreja, para estes dias que se aproximam do fim.

Boa parte dos Evangelhos nos falam acerca de arrependimento e do comportamento que devemos ter em relação ao Reino de Deus. Não importa a sua moral, conduta, sucesso, etc, se você não estiver comprometido com o Evangelho da cruz de Cristo, com o sangue derramado na cruz, com a renúncia do seu eu, com a renúncia do velho homem, com a renúncia do pecado na sua vida, cuidado! Pois você pode estar comprometido com um evangelho cujo centro é você, os seus desejos, suas vontades, e segundo a Palavra de Deus este evangelho é amaldiçoado (anátema). ; II Co. 11:4 (Trindade satânica)

Na realidade o Evangelho do Reino de Deus não é muito popular, pois não é centrado no homem e sim em Jesus Cristo. Não é centrado em fazer as vontades do homem, mas sim a vontade de Deus. Mt. 16:22-26

O Espírito Santo está saindo de muitas denominações, de muitos pregadores, porque estão pondo de lado o Evangelho. A Igreja do Senhor Jesus Cristo nunca será aceita pelo mundo porque é o lugar que viemos para morrermos para os louvores e glórias do mundo. Os pecadores têm de ser convictos do seu pecado.

Vamos definir o que é SANTIDADE: (Pureza Moral)

1) Atributo de Deus (Pai, Filho e Espírito) pelo qual ele é moralmente puro e perfeito, separado e acima do que é mau e imperfeito {Êx 15.11; Sl 29.2; Hb 12.10}.

2) Qualidade do membro do povo de Deus que o leva a se separar dos impios, a não seguir os maus costumes deste mundo, a pertencer somente a Deus e a ser completamente fiel a ele {1Ts 3.13}.

3) No AT, separação de coisas ou pessoas para Deus e para o culto. Eram santos os sacerdotes {Lv 21.6-8}, os NAZIREUS {Nm 6.5-8}, Canaã {Zc 2.12}, Jerusalém {Is 52.1}, o Templo {Sl 11.4}, os altares, o óleo e os utensílios do culto {Êx 30.25-29}, os sacrifícios {Êx 28.38}, etc.

Devemos também estabelecer a definição bíblica de pecado para entendermos bem do que se trata, assim saberemos lidar com esse agente transmissor de morte eterna:

  • Falta de conformidade com a lei de Deus, em estado, disposição ou conduta.

Para indicar isso, a Bíblia usa vários termos, tais como: – Pecado {Sl 51.2; Rm 6.2}, – Desobediência {Hb 2.2}, – Transgressão {Sl 51.1; Hb 2.2}, – Iniquidade {Sl 51.2; Mt 7.23}, – Mal, maldade, malignidade {Pv 17.11; Rm 1.29}, – Perversidade {Pv 6.14; At 3.26}, – Rebelião, rebeldia {1Sm 15.23; Jr 14.7}, – Engano {Sf 1.9; 2Ts 2.10}, – Injustiça {Jr 22.13; Rm 1.18}, – Erro, falta {Sl 19.12; Rm 1.27}, – Impiedade {Pv 8.7; Rm 1.18}, – Concupiscência {Is 57.5; 1Jo 2.16}, – Depravação {Ez 16.27,43,58}.

Paulo cita os frutos dessa arvore maligna chamada pecado: apetite desordenado (glutonarias), vil concupiscência, avareza que é idolatria; ira, cólera, malícia, maledicência, palavras torpes, mentira, prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, emulações, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, e coisas semelhantes a estas. (Galatas 5:19-21; Colossenses 3:5-10)

Se Jesus estivesse aqui, hoje, em pessoa, Ele nos diria: “- a menos que se arrependam dos vossos pecados e da vossa vã maneira de viver (Mt. 4:17), irão todos para o inferno” (Jo. 3:18-21).

O Apóstolo Pedro em sua primeira pregação, proclamou o mesmo que Jesus (At. 2:38).

SEM ARREPENDIMENTO NÃO HÁ SALVAÇÃO!

Deus anuncia a todos os homens que se arrependam, pois virá o dia em que prestaremos contas a Deus. Não é receber Jesus como Salvador, um dia, e depois continuar a viver no pecado e ao seu bel prazer. At. 17:30-31

Pecado é transgredir a vontade de Deus! Salvação é um ato e a vida cristã uma caminhada! Da morte espiritual e eterna escapam aqueles que se chegam a Cristo, o Salvador {Rm 3.23; Rm. 8.39}. A esse processo de escape se dá o nome de Salvação, Redenção ou Remissão. Vejamos também a sua definição para entendermos bem esse processo e como é o funcionamento em nossa vida:

SALVAÇÃO – Ato pelo qual Deus livra a pessoa de situações de perigo {Is 26.1}, opressão {Lm 3.26; Ml 4.2}, sofrimento {2Co 1.6}, etc. Ato e processo pelo qual Deus livra a pessoa da culpa e do poder do pecado e a introduz numa vida nova, cheia de bênçãos espirituais, por meio de Cristo Jesus {Lc 19.9-10; Ef 1.3,13}.

A salvação deve ser desenvolvida pelo crente {Fp 2.12}, até que seja completada no fim dos tempos {Rm 13.11; 1Pd 1.5; 2.2}.

REDENÇÃO – Libertação {Sl 111.9}.

No AT, Deus, o REDENTOR, liberta o povo de situações de cativeiro {Is 43.14}, sofrimentos {Jr 14.8}, morte {Jó 19.25}, pecado {Is 44.22; 59.20}.

No NT, Deus, por meio do pagamento de um preço, isto é, a morte de Cristo na cruz, compra para uma vida de nova liberdade a pessoa que era escrava do pecado e da LEI (2) {Mc 10.45; Rm 3.24; Gl 4.5; Ef 1.7}. Essa redenção será completada no final dos tempos {Rm 8.21-23}.

REMIR – Libertar mediante o pagamento de um preço {Is 43.1; Tt 2.14};

Aproveitar {Ef 5.16}.

REMISSÃO – Ato de REMITIR dívida {Dt 15.1} ou pecados {Mt 26.28}.

VIDA ETERNA – Vida que não tem fim, revestida de qualidades espirituais {Rm 2.7} e de bênçãos aqui e no além {Jo 3.16; 4.14; 10.28; Tt 3.7}. Começa com o NOVO NASCIMENTO e é mantida pela união do salvo com Cristo {Jo 3.36; 17.3}. V. REDENÇÃO e SALVAÇÃO.

NASCIMENTO NOVO – Mudança operada pelo Espírito Santo no coração de uma pessoa que, levada à fé salvadora, abandona o pecado e passa a viver uma nova vida voltada para Deus e para o próximo {Jo 3.3-7; 1Jo 2.29; 3.9; 4.7; 5.1,4,18}.

CONVERSÃO – Mudança de vida operada por Deus {At 15.3}. Essa mudança tem dois aspectos. O primeiro, relacionado com o pecado, chama-se ARREPENDIMENTO. O segundo, relacionado com Cristo, é a FÉ.

ARREPENDIMENTO – Decisão de mudança total de atitude e de vida, em que a pessoa, por ação divina, é levada a reconhecer o seu pecado e a sentir tristeza por ele, decidindo-se a abandoná-lo, baseando sua confiança em Deus, que perdoa {Mt 3.2-8; 2Co 7.9-10; 2Pe 3.9}. O complemento do arrependimento é a FÉ. E os dois juntos constituem a CONVERSÃO. V. REMORSO.

Mas o que é arrependimento?

Do grego metanoeo

1) mudar a mente, i.e., arrepender-se

2) mudar a mente para melhor, emendar de coração e com pesar os pecados

Arrepender-se = Sentir tristeza por uma atitude tomada; lamentar-se; Mudar de atitude

noeo (Gr.) – perceber com a mente, entender, ter entendimento; pensar sobre, prestar atenção, ponderar, considerar.

nous (Gr.) – mente, incluindo igualmente as faculdades de perceber e entender bem como a habilidade de sentir, julgar, determinar. – faculdades mentais, entendimento – razão no sentido mais estreito, como a capacidade para verdade espiritual, os poderes superiores da alma, a faculdade de perceber as coisas divinas, de reconhecer a bondade e de odiar o mal – o poder de ponderar e julgar sobriamente, calmamente e imparcialmente – um modo particular de pensar e julgar, i.e, pensamentos, sentimentos, propósitos, desejos

Remorso = Atormentador senso de culpa por mal ou crime praticado. É diferente de arrependimento, que é tristeza pelo pecado cometido acompanhada da decisão de abandoná-lo, significa nada mais que pesar, refere-se a uma mudança emocional

Arrependimento bíblico implica em vários aspectos:

  1. a) Mudança de pensamentos
  2. b) Mudança de sentimentos
  3. c) Mudança de atitude

Arrependimento sincero e verdadeiro se dá quando passamos a ter nojo do pecado, porque enquanto achamos o pecado “gostoso”, ainda não houve arrependimento

  1. A) Arrependimento implica em mudança de pensamentos

Antes de sermos salvos nos achamos boas pessoas, temos uma vida boa, etc… Mas o que diz a Bíblia? Is. 64:6, Rm. 3:23 – “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;”. Todos incluem a mim e a você. Somos pecadores e somos obrigados a mudar a nossa opinião a respeito de nós mesmos. Agora podemos reconhecer que não somos tão bons assim, ou que não éramos tão bons assim como pensávamos, mas podemos olhar para nós como realmente somos sem Deus e como Deus nos via: pecadores, condenados, e merecendo a condenação eterna. Mas Deus, em seu amor infinito, diz: Jo. 3:16. Afinal, o Deus que se ira, também é o Deus de justiça e amor, que fêz tudo possível para salvar o homem do inferno, para nos salvar, a mim e a você. Ez. 33:11

  1. B) Arrependimento implica uma mudança de sentimento

Atitudes levianas para com o pecado sempre produzem conversões superficiais. Quem não compreende quão negro e horrível é o pecado, e que é uma ofensa contra um Deus justo e santo, sentirá pouca necessidade para uma mudança de coração. Mas quando o homem encara o seu pecado a luz da perfeita justiça e santidade de Cristo, então compreende a sua verdadeira condição. Esta compreensão do pecado e a ausência completa de merecimento, deve fazer com que o homem odeie o pecado que tanto o degradou.

“Pastor, eu nunca fiz mal a ninguém, sempre fui reto, procuro o bem de todos, sempre paguei as minhas contas em dia, etc…” É o que dizem a maioria das pessoas.

Mas o que a Bíblia diz? Lc. 18:9-14.

Mostraram duas atitudes diferentes acerca do pecado. O pecado do fariseu estava tão bem escondido atrás da sua própria justiça que não o enxergava; mas o pecado do publicano, patente a si mesmo e a Deus, era tão negro e grande que ele batia no peito, indicando tristeza de coração por ter pecado contra um Deus santo. Quem verdadeiramente contempla o seu pecado face a face, há de sentir tristeza de coração.

A tristeza segundo Deus o levará a uma mudança de pensamento e um desvio do pecado; porém, nem toda a tristeza pelo pecado é tristeza segundo Deus.

Exemplo: um homem, surpreendido enquanto rouba uma loja, mata o proprietário para conseguir escapar; depois é preso, processado e sentenciado a morte. Encarando a morte, ele diz estar arrependido; mas o que verdadeiramente ele sente é tristeza por ter sido capturado e condenado (remorso)

  1. C) Arrependimento é mudança de atitude

Algumas pessoas até reconhecem o erro, mas vão com evasivas diante de Deus: “Oh Deus, eu pequei, mas a culpa não foi minha…” Assim Deus não lhe perdoará. I Jo. 1:8-9; 2:1-2

a ATITUDE CORRECTA DIANTE DO PECADO É:

1º – Admita o seu pecado perante Deus.

2º – Confesse os seus pecados a Deus.

3º – Mude de atitude, volte as costas ao seu erro

4º – Receba o perdão de Deus

Conclusão: Mt. 6:33

Como Ministro do Evangelho o meu papel é alerta-lo a tempo e a fora de tempo, que é hora de arrependimento diante de Deus, é hora de vivermos uma vida em santidade diante de Deus, e é hora de também alertar aos outros, é hora de evangelizar, é hora de anunciar o Evangelho da graça e do reino aos familiares, amigos, a toda a gente.

É hora de renunciarmos a nós mesmos, aos comodismos, aos confortos. Nós é que somos servos de Jesus e não o contrário. O servo é que segue o senhor e não o contrário. Jesus Cristo deve ter a primazia em nossas vidas! Ap. 21:6-8,27, Ap. 2:11

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Conteúdo protegido, copia e transcrição necessita autorização do autor