ENTENDES O QUE LÊS?

Será que de fato, entendemos o que lemos e o que ouvimos? Será que entendemos as pregações que ouvimos? Então porque gastamos tanto tempo coxeando (em dúvida) entre pensamentos, sendo jogado de um lado para outro?

Ao somarmos as reuniões da congregação local, supondo que tenha 3 cultos por semana, temos um total de 156 pregações ao ano. Ainda ouvimos falar de congressos, seminários, workshops, convenções de fé, acampamentos, summits, encontros de casais, encontros de jovens, encontros de mulheres, encontros de homens. Facilmente uma congregação normal pode ultrapassar as 200 pregações por ano. E daí? Qual é o impacto dessas mensagens? O que causam na vida dos irmãos e das pessoas que frequentam os cultos? Felipe fez essa pergunta ao eunuco em Atos 8.30-31: Entendes o que lês? Podemos estender a pergunta: entendes o que ouves?

A impressão que tenho é que se de fato entendemos o que lemos e ouvimos não gastaríamos tanto tempo coxeando (em dúvida) entre pensamentos, não gastaríamos tanto tempo sendo jogados de um lado para outro com tantos ventos de doutrinas, a maioria estranhas. “Até quando coxeareis entre dois pensamentos? ” (I Reis 18.21), ou, até quando sereis “agitado como a onda do mar por falta de fé e por falta de sabedoria”? (Tiago 1.5-6)

Coxear = Andar, inclinando-se para um dos lados, por defeito, ou doença num pé ou numa perna; claudicar; não estar bem feito; ter defeito. Apresentar hesitação (diante de alguma coisa); hesitar, vacilar. Claudicar = cair em erro ou falta; fraquejar intelectualmente

Vivemos numa época em que o povo é ávido de informação e não importa qual é a fonte. E com isso o povo atrás de falsos profetas, os quais estão sob um espírito de mentira. Em II Crônicas 18 vemos 400 profetas profetizando falsamente, mentiras, apenas 1 profeta (que não fazia parte dos 400) falava a verdade e mesmo assim foi castigado pelo falso profeta principal.

Muitos dizem que não é permitido julgar, “Deus é quem julga” e com isso muitos mentirosos conseguem arrebanhar milhares de pessoas, porque não são capazes de analisar, comparar com as escrituras. Posso citar muitos textos que apoiam que precisamos e devemos julgar segundo as escrituras atitudes e palavras, não podemos julgar pessoas, mas as suas ações e as suas palavras devem ser julgadas a luz da escritura. Escrevi sobre o assunto em JULGAMENTO OU ANALISE.

Precisamos ter muito cuidado com as nossas fontes, pois existem muitas fontes contaminadas com o outro evangelho, o outro Jesus e o outro espirito conforme diz em II Coríntios 11:4. O problema é que fontes contaminadas e fontes limpas jorram água, somente fazendo a análise devida é que saberemos se é própria para o consumo ou não. Vejamos o exemplo de Isaque descrito em Genesis 26.18-19 – fonte de águas vivas.

Hoje, nosso grande problema é que, queremos ser iguais a qualquer um (I Samuel 8.5), isso não é novo, Israel fez essa escolha. Nem que para isso precisamos remover os marcos antigos (Pv 22.28 – Jó 24.2 – Pv 23.10)

Muitos querem ser iguais aos outros para ter crescimento rápido, mas se esquecem do que tudo o que cresce rapidamente o faz porque recebe fermento (Gálatas 5:9), e esse fermento na maioria das vezes são as falsas doutrinas, conforme Hebreus 13:7-8. A Igreja cresce gradativamente formando discípulos, não é por baciada, por jogar sementes a esmo. Vejamos a Grande Comissão Mateus 28:18-20

Deus estabeleceu para o crescimento dos Santos, os apóstolos, profetas, pastores, mestres e evangelistas conforme Efésios 4.11-13. Estes precisam preparar o povo para apresenta-los a Deus, porque prestarão contas dele, Hebreus 13:17

Infelizmente no tempo em que a igreja deveria estar crescendo, fazendo e formando discípulos, precisa gastar forças a combater rebeldes, desobedientes, como o corpo a combater um câncer. Esses que querem ser iguais aos outros se assemelham a Coré, Datã e Abirão, conforme Num 16, os quais estavam no meio do povo e eram da liderança, no entanto confrontaram e desafiaram a Palavra de Deus, quando desafiaram a autoridade de Moisés, lembrando que Moises era uma figura de Cristo, e estes que se levantam conta a autoridade instituída na Igreja estão se levantando contra Cristo, o sumo Pastor.

Mateus 24 e 25 nos alertam que devemos pregar o evangelho de Jesus Cristo e dar os seus avisos aos três tipos de pessoas: aos não salvos, aos salvos e aos servos de Deus. Porque é tempo de começar o julgamento pela casa de Deus – I Pedro 4.17

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Conteúdo protegido, copia e transcrição necessita autorização do autor