E QUANDO OS PROBLEMAS SÃO MAIORES DO QUE NÓS?

E quando os problemas são maiores do que nós, ou pensamos que são, porque estão fora do nosso controle e não temos como resolvê-los?

Problemas e dificuldades mostram a vulnerabilidade do homem comum, pois vivemos uma vida difícil, com contas a pagar, família para cuidar, às vezes enfermidade, outras vezes desemprego, por vezes o negócio não está indo tão bem quanto desejado, uma crise no casamento, etc. Pode ter chegado a um ponto desesperador, em que todas as tentativas não dão certo e não há como resolver o problema. Os homens de Deus também se encaixam nessa vida difícil, passam necessidades, têm lutas e muitas vezes combates não só por si mesmo, por sua família, mas também pelas pessoas que cuidam.

Essas dificuldades podem ser assemelhadas àquelas que os homens de Deus passaram à 2000, 3000 anos atrás, mas que, apesar do desespero, da aflição, da agonia, Deus interveio. E Deus intervém hoje? SIM

Muitas pessoas acham que tudo pode ser resolvido pelo esforço, trabalho, inteligência, força. Mas, estão totalmente enganadas. Há momentos em nossa vida que todo esforço, trabalho, inteligência, força, nada valem. Até as demoras divinas testam à coragem e paciência das pessoas. A semelhança dos discípulos, seguimos a Jesus Cristo e obedecemos à Sua palavra, estamos num barco (a vida) fazendo a travessia e também somos açoitados por ventos contrários, pelas aguas agitadas (Mt. 14:22-33). Por obedecermos a Jesus podemos ser açoitados por todos os lados, tudo e todos se revoltam contra nós. Mas o Senhor Jesus tem tudo sob o seu olhar, Ele vê tudo e tem tudo sob seu controle e diz: “não temas, sou Eu, tende bom ânimo”. É preciso reconhecer Jesus em todas as situações, Ele vem em nosso socorro. Nem todas as doenças ou enfermidades, ou mesmo certas situações ou problemas, têm sua origem no pecado ou na desobediência; pode ser que sua origem seja o próprio Deus, a fim de que Ele seja glorificado. (Jo. 9:3; 11:4)

Temos diversas situações na Bíblia que são alegorias para nos ajudarmos a entender isso. Ou você anda por aí, como Davi, matando um leão, ou um urso, um gigante chamado Golias? Será que já foi colocado numa fornalha de fogo ardente 7 vezes mais do que o normal? E numa cova cheia de leões famintos como foi Daniel? Será, que, como Josafá, anda em guerra com outras nações e enfrentando exército maiores do que seu (a não ser nos videojogos)? Mas, pode ser que tenha sido açoitado e tenha os pés presos numa prisão escura, fétida, úmida como Paulo e Silas? Tudo isso aconteceu àqueles homens, e servem para nos mostrar que seja qual for a situação que venhamos a enfrentar não há impossíveis para Deus. “As coisas que são impossíveis aos homens são possíveis a Deus” (Lc. 18:27).

Se crermos de todo o nosso coração, em oposição aos nossos pensamentos, medo e pavor, sim, Deus intervém a nosso favor, se buscarmos, orarmos, pedirmos, acreditarmos. E se não conseguirmos descansar? Sim, muitas vezes é possível que isso aconteça, sermos rodeados por muitos pensamentos contrários, embaraçosos. Vamos ao Senhor e nos prostramos. Diante Dele jogamos a ansiedade, nossa luta, confessamos a nossa incapacidade e nos aquietamos, nossa alma é invadida por Sua paz que ultrapassa qualquer pensamento, assim vem a certeza de que Ele agirá, lutará a nosso favor, apesar da glória que Ele tem, Ele se importa conosco também. Como disse o salmista: “Entregue o seu caminho ao Senhor; confie Nele, e ele agirá: Descanse no Senhor e aguarde por Ele com paciência. ” Sl. 37:5,7

Por que o sofrimento também vem na vida dos que amam a Deus?

Jesus Cristo disse a Ananias acerca de Paulo (At. 9:16): “E eu lhe mostrarei quanto deve padecer pelo meu nome”. Isaías falando acerca de Jesus o Cristo, o apresentou como “Renovo numa terra seca – Ele foi subindo como renovo perante ele e como raiz de uma terra seca” (Is. 53:2), mostrando o sofrimento que ele iria passar.

Uma contra-cultura foi inserida na Igreja moderna, a do não sofrimento, associando qualquer sofrimento a pecado. E por causa dessa contra-cultura, diante dos problemas, de situações muito difíceis, há pessoas que perdem a fé e a esperança e ficam desesperados. Apesar de muitos cantarem, erroneamente, que estão desesperados por Deus, a definição dessa palavra é terrível: Desesperado = desatinado; sem esperança; insalvável. Desesperar = tirar a esperança a; desanimar; desalentar; perder a esperança de conseguir; causar desespero a; irritar; afligir vivamente; enraivecer; zangar-se; encolerizar-se. Desatinado = louco; demente; sandeu.

Quando julgamos uma situação e dizemos: “Deus não age assim…” estamos pecando, porque queremos dizer a Deus como Ele deve agir (Is. 29:16). Elias viu uma nuvem do tamanho da mão de um homem, ele sabia que este era o sinal de Deus que iria chover. Pode ser que seja um sonho, uma visão, ou uma promessa, tudo tem o tempo determinado. Os que esperam no Senhor subirão com asas como águia. (Paciência e Fé)

O Senhor nos trata de maneiras diferentes e não podemos limitar a Deus quando Ele nos trata. Nem podemos limitar a Deus quando Ele está tratando alguém. Assim não podemos julgar este alguém e decretar juízos. Ele nos trata de acordo com a sua multiforme sabedoria. O Senhor nos trata como: Filhos (Hb.12:7); Família (Ef. 2:19); Servos (Rm. 6:22); Soldados (II Tm. 2:3); Amigos (Jo. 15:14, Tg. 2:23); Individuais (únicos) (Is. 41:14); Coletivo (povo, nação) (I Pd. 2:10); Discípulos (Jo. 13:35); Enviados ou mensageiros (Rm. 10:15)

Deus valorizou bem a sua Palavra. Ele a chama de: “FOGO”, “MARTELO”, “ESPADA”. Ora o fogo queima; um golpe de martelo fere, esmaga; um golpe de espada corta e provoca muita dor. Quando a Palavra de Deus é proclamada no poder e na unção do Espírito, serão exatamente estes resultados: queimará como fogo; despedaçará como um martelo; trespassará como uma espada. A dor espiritual e psíquica será tão severa e real como a dor física. Em caso contrário, há algo errado ou com a mensagem ou com o mensageiro. O aperfeiçoamento dos santos se dá através de sofrimento. Cheios do Espírito Santo, havemos de: Crer no incrível; ver o invisível; saber o incógnito; fazer o impossível.

Assim como o advogado, engenheiro, médico, o qual após receber o diploma precisa, também, receber a credencial da ordem, que é concedida após um rigoroso exame, assim é com o verdadeiro ministro, servo de Deus. Não basta ter o diploma, é preciso ter a plenitude do Espírito Santo para desempenhar suas funções. As lutas, provações, privações, provas, fazem parte desse exame.

Moisés (Dt. 8:2-6) lembrou ao povo como Deus testou o seu coração, se esse povo guardaria ou não a Sua Palavra, da mesma forma Deus testa o nosso coração em meio as aflições, para ver se seremos fieis à Sua palavra, infelizmente muitos são reprovados:

E te lembrarás de todo o caminho pelo qual o Senhor, teu Deus, te guiou no deserto estes quarenta anos, para te humilhar, para te tentar, para saber o que estava no teu coração, se guardarias os seus mandamentos ou não.

E te humilhou, e te deixou ter fome, e te sustentou com o maná, que tu não conheceste, nem teus pais o conheceram, para te dar a entender que o homem não viverá só de pão, mas que de tudo o que sai da boca do Senhor viverá o homem. Nunca se envelheceu a tua veste sobre ti, nem se inchou o teu pé nestes quarenta anos.

Confessa, pois, no teu coração que, como um homem castiga a seu filho, assim te castiga o Senhor, teu Deus. E guarda os mandamentos do Senhor, teu Deus, para o temeres e andares nos seus caminhos.

Em meio a todo esse temporal da vida a fé a esperança são fortalecidas

– Fé = crença, crédito; convicção da existência de algum fato ou da veracidade de alguma asserção; fidelidade a compromissos e promessas, confiança; confirmação, prova.

– Esperança = ato de esperar; expectativa na aquisição de um bem que se deseja; aquilo que se espera desejando

O sofrimento pode vir a um homem de Deus para lhe trazer sensibilidade ao Espírito Santo. Esta sensibilidade faz com que possa ministrar ao coração de Deus segundo a necessidade de Deus, e, também, ministre à Igreja, segundo a necessidade da Igreja. O sofrimento é necessário, pois lapida o homem, tira toda impureza que está a vista ou mesmo escondida, que está incrustada em lugar de difícil acesso. É preciso ver nas provas o plano de Deus! Pare de reclamar diante das provas, louve a Deus e tire proveito delas. As mesmas tribulações que sufocam e matam os ímpios, são as mesmas tribulações que nos aproximam de Deus e nos fazem ficar muito melhores. Deus é um maestro a frente de sua orquestra e no momento certo e devido cada instrumento toca, nem antes, nem depois, cada um tem sua hora, e cada músico deve esperar o comando do maestro, entende essa alegoria?

Smith Wigglesworth:

Você tem coragem de viver das promessas de Deus? Você crê mesmo em Deus? Você se aventura a permanecer firmado no testemunho da Palavra? Qual testemunho? – Se creres, verás a glória de Deus.

Você será peneirado como o trigo. Você será provado. Você será levado a situações nas quais será necessário confiar absolutamente em Deus. Não existe isso de alguém ser tentado além do que Deus permitir. A tentação virá, porém Deus estará contigo bem na hora para lhe dar o escape. E quando tiver sido provado, Ele fará você resplandecer como ouro.

Toda provação tem a finalidade de levá-lo a uma posição mais elevada em Deus. A provação que testa sua fé o colocará num nível maior de certeza de que a fé divina se manifestará nas próximas provas.

Nenhum homem tem capacidade para alcançar qualquer vitória, exceto pelo poder de Cristo ressuscitado. Você jamais será capaz de dizer: “Eu fiz isso ou aquilo por mim mesmo”. O seu desejo será glorificar a Deus em tudo.

Se você está seguro da sua posição, se tem o Cristo vivo dentro de você, então conseguirá rir quando as coisas piorarem. Isso é sinal que Deus o tem alicerçado e fundamentado em Cristo, pois somente quando estamos cheios do Espírito Santo, é que nos tornamos firmes e inabaláveis.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Conteúdo protegido, copia e transcrição necessita autorização do autor