NUNCA NASCERAM DE NOVO

Boa parte das pessoas a que chamamos irmãos (participantes de denominações ou “desigrejados”), até mesmo entre os que chegaram ao cúmulo de ter um título eclesiástico, é apenas religiosa, ou seja, nunca nasceu de novo, não tem o caráter e a vida de Cristo. Não é questão de julgamento, mas uma pura e simples análise, afinal as atitudes, palavras, comportamento denunciam.

Poderíamos citar diversos problemas, situações, conflitos em diversas áreas, tais como: casamento, família, emocional, física, autoridade e submissão, etc. Mas fiquemos apenas com o que está fácil de perceber, está bem a vista de todos: As redes sociais demonstram muito mais do caráter de uma pessoa do que se pode imaginar, tanto que os RH’s das empresas as consultam. Cuidado! É manifesta a carência e infantilidade, da maioria dos religiosos, ávidos por mensagens de ânimo, prosperidade, riqueza, saúde, bem estar, não importa a fonte, com isso postam idólatras, bruxos, magos, encantadores, videntes (Cuidado com frases e pensamentos bonitos, basta consultar a fonte da mensagem para não espalhar o engano junto, sim, é um bonito cheio de engano e maldição).

{Não tem fé? Fé vem pelo ouvir da Palavra de Deus. O pânico e o medo vêm pelo ouvir dos noticiários. Não espalhe pânico! Não espalhe medo!}. Outros publicam apenas bobagens e futilidades para desestressar. Há os comentaristas políticos (Pergunte sobre o noticiário diário e o “irmão” saberá; pergunte sobre a Bíblia, aí…).

Tenho aconselhado: “Use todo o vigor usado para falar de política, pandemia, etc., para falar do que realmente interessa: JESUS CRISTO, pois Seu retorno está próximo (Maranata). Está preparado?” Os avisos têm sido dados. Quem tem ouvidos, ouça! Há tantos homens de Deus publicando a Palavra. Cada vez mais vivemos tempos em que: Importa obedecer a DEUS, mais do que aos homens. Não existe pandemia, existe política e políticos. Olhe para o Alto! Política não é solução, mas parte do problema. CRISTO é a única solução! (É muito interessante ver ditos “cristãos” se alegrarem pela vitória de políticos, mas, sobretudo daqueles que defendem aborto, eutanásia, diversos tipos de ‘ismos’, valores antagônicos para um seguidor (imitador) de Cristo.). Os seres humanos e suas escolhas erradas em todas as áreas, depois se queixam de tudo o que está mal. A nossa normalidade é Cristo, e não temos outra hipótese.

Muitas pessoas ainda não entenderam o tempo que estamos vivendo, o tempo de execução da pena devida à condenação do mundo está chegando. É preciso despertar sim… Para a necessidade de buscar a Cristo, pois o que está escrito se cumprirá e nenhum político ou resistência impedirá. O iníquo se manifestará antes que seja destruído pelo sopro do Senhor. Atente para os sinais. Estude a Bíblia… Procure ajuda caso não saiba como fazer. Só assim entenderá o tempo em que vivemos, tenha muito cuidado, pois há muitos “pregadores” inventando teorias e aumentando histórias. Confira sempre! “Somente os peixes vivos nadam contra a correnteza. Somente os peixes mortos “nadam” a favor dela”.

A Igreja de Jesus Cristo pode ser atribulada, mas não derrotada, pode ser oprimida, mas não vencida (Assim como denominações “surfam em ondas” sem nenhuma base bíblica, infelizmente muitos “cristãos” acreditam em tudo menos no cuidado e zelo de Deus pelo Seu povo – Um dos maiores erros dessa geração é dar ouvidos aos falsos mestres enganadores)

Repito: não é questão de julgamento. Julgamento é algo pessoal, ocorre entre Cristo e a própria pessoa. O Apóstolo Paulo orientou em I Corintios 11:28-32 – Examine-se pois o homem a si mesmo, e assim coma deste pão e beba deste cálice. Porque o que come e bebe indignamente, come e bebe para sua própria condenação, não discernindo o corpo do Senhor. Por causa disto, há entre vós muitos fracos e doentes, e muitos que dormem.  Porque, se nós nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos julgados. Mas, quando somos julgados, somos repreendidos pelo Senhor, para não sermos condenados com o mundo.

Para entendemos um pouco melhor de onde vem essa mentalidade de que todos os que frequentam um local de culto são “crentes, ou irmãos, ou cristãos”: Há uma máxima que reina em muitos comentários e conversas, mas seria real a estatística apresentada? “100% de todos os frequentadores da “igreja” devem ser perfeitos!”:

De acordo com os Evangelhos:

– De acordo com a parábola da semente: 25% caiu a beira do caminho + 25% caiu entre pedras + 25% caiu entre espinhos + 25% caiu em boa terra.

– De acordo com a parábola das virgens: 50% eram loucas + 50% eram sábias

– De acordo com a parábola dos talentos: 66% granjeou outros talentos + 34% enterrou o talento

– Mateus diz sobre a vinda: 50% será levado + 50% será deixado

As estatísticas bíblicas nunca apontam para esses tais 100% reclamados e exigidos, então encontraremos gente curada no espírito, alma e corpo, mas também encontraremos a maioria doente (os religiosos), possivelmente atrás de cura ou de prosperidade. No entanto, os curados (nascidos de novo, os quem tem a natureza e o caráter de Cristo):

  • Os 25% que caiu em boa terra, os 50% sábios, 66% que granjeiam mais talentos, os 50% que serão levados, têm: 100% de comprometimento com a Palavra de Deus; 100% de comprometimento com o Reino de Deus; 100% de comprometimento uns com os outros; 100% de comprometimento contra o pecado e a iniquidade; 100% de comprometimento com a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor.

Quem irá atentar à Palavra? Apenas os que nasceram de novo. DEUS tem enviado os seus profetas para anunciar o que está escrito! Cuidado! Pesquise! Analise! Pondere! Investigue! Pode ser muito religioso, devoto, evangélico, protestante, crente, mas se não for nascido de novo, se não tiver a natureza e caráter de Cristo, tudo é vão e inútil. DEUS pode ser explicado pela ciência, lógica, razão, conhecimento, etc. Mas Ele quer apenas ser explicado pela fé. Basta crer! Ele é presenteador daqueles que O buscam. Sem Cristo em vida, não há descanso em paz na morte. João 3:3, 5-6 NBV-P – Jesus respondeu: “Verdadeiramente, digo-lhe isto:

Se alguém não nascer de novo, nunca poderá ver o Reino de Deus”.

Jesus respondeu: “O que eu lhe estou dizendo é verdade:

Se alguém não nascer da água e do Espírito não pode entrar no Reino de Deus.

O que nasce da carne é carne, mas o que nasce do Espírito é espírito.

Entendendo as definições do que esta escrito neste texto, segundo o Dicionário Bíblico:

NOVO NASCIMENTO

Mudança operada pelo Espírito Santo no coração de uma pessoa que, levada à fé salvadora, abandona o pecado e passa a viver uma nova vida voltada para Deus e para o próximo {Jo 3.3-7; 1Jo 2.29; 3.9; 4.7; 5.1,4,18}. V. CONVERSÃO.

NOVO

De cima, de um lugar mais alto; de coisas que vem do céu ou de Deus; do primeiro, do início; de novo, mais uma vez

NASCER

Gerar, fazer nascer, excitar.

Na tradição judaica, de alguém que traz outros ao seu modo de vida, que converte alguém

De Deus ao fazer Cristo seu filho; de Deus ao transformar pessoas em seus filhos através da fé na obra de Cristo

CONVERSÃO

Mudança de vida operada por Deus {At 15.3}. Essa mudança tem dois aspectos: O primeiro, relacionado com o pecado, chama-se ARREPENDIMENTO. O segundo, relacionado com Cristo, é a FÉ.

ARREPENDIMENTO

Decisão de mudança total de atitude e de vida, em que a pessoa, por ação divina, é levada a reconhecer o seu pecado e a sentir tristeza por ele, decidindo-se a abandoná-lo, baseando sua confiança em Deus, que perdoa  {Mt 3.2-8; 2Co 7.9-10; 2Pe 3.9}. O complemento do arrependimento é a FÉ. E os dois juntos constituem a CONVERSÃO. V. REMORSO.

REMORSO

Atormentador senso de culpa por mal ou crime praticado {RA Mt 27.3}. É diferente do ARREPENDIMENTO, que é tristeza pelo pecado cometido acompanhada da decisão de abandoná-lo.

A Bíblia é clara: pecado é pecado, todo e qualquer pecado é condenado por Deus, não há pequeno ou grande. O que diz, pensa ou sugere o líder de qualquer religião pouco nos importa, não servimos ou fazemos parte de uma religião, nós os que nascemos de novo somos filhos de Deus, irmãos de Jesus Cristo e por livre e espontânea vontade Seus servos, não servimos mais a carne nem tão pouco às suas concupiscências, assim sendo o pecado não tem mais domínio sobre nós. Afinal o pecado gera a morte.

Somente religiosos, membros de religiões, perdem tempo com comentários e publicações inúteis. Pregamos a Cristo e este crucificado!

OBEDEÇA a BÍBLIA: PENSE!

Você sabia que a há uma grande diferença entre ser crente, crédulo é incrédulo?

CRENTE: que crê, acredita, ou tem convicção; que leva excessivamente a sério suas obrigações ou assuntos, com demasiado zelo, entusiasmo e posição acrítica; que ou quem manifesta crença e/ou é sectário de uma fé religiosa.

Crédulo: Que crê em tudo com facilidade. Pessoa pela qual se deixa levar pela lábia de terceiros.

Incrédulo: Que não acredita.

Pois bem: O verdadeiro CRENTE (Nascido de novo) está firmado sobre a Palavra de Deus e não é enganado. Não segue atrás de qualquer doutrina, ensinamento, conversa… Não segue atrás de qualquer um que se diz profeta, apóstolo, bispo, pastor… Checa e verifica tudo é que dito ou falado, pregado, escrito, publicado, gravado, etc. com a Palavra de Deus.

Somente o crédulo (religioso): Segue os falsos…, acredita em tudo o que ve e ouve…, e ainda impõe as suas crenças toscas aos outros… É adepto do nada a ver, gosta de brincar de “Eu cuido” (Eu cuido da minha vida e Você cuida da sua). Anda no limiar entre as trevas e a luz, na fronteira da vida com Deus e da vida com o pecado. Ferrenho defensor de seus credos e vai com toda com a força contra os que falam a verdade que liberta. Normalmente é defensor da política misturada com religião, esquecendo que ambos caminham juntos, mas fingem ser antagonistas por determinação do senhor do sistema, o dono do mundo. Uma lista extensa…

E o populacho que estava no meio deles veio a ter grande desejo das comidas dos egípcios… Números 11:4 (RA). A grande mistura de gente que estava no meio deles ardeu em desejo… Números 11:4 (TB). As situações apenas se repetem, esse fato relatado em Números ocorreu com o povo de Israel quando percorriam o deserto, no entanto vemos a mesma situação com o povo da Igreja, ou o povo que frequenta a Igreja. Sim, porque há um povo que é a Igreja e um povo que frequenta a Igreja (o que é bem diferente, inclusive pessoas que amamos que temos muito carinho (familiares, parentes, amigos, colegas)).

Muitas pessoas que participam dos cultos, até trabalham voluntariamente em alguma das diversas áreas ou departamentos existentes numa igreja local não fazem parte da Igreja, apenas são frequentadores, estão no meio do povo, há uma grande mistura, e por andarem juntos, muito próximos, adquirem características semelhantes, modo de falar, agir e andar. Mas quando há confronto, quando a situação aperta, quando a fé é provada elas manifestam o seu verdadeiro “eu”, sentem desejo, aliás, um grande desejo, a semelhança da turba ou populacho que estava no meio do povo hebreu.

Os avisos têm sido dados!

Quem tem olhos, leia!

Quem tem ouvidos, ouça!

Quem tem boca, anuncie!

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.