AVIVAMENTO OU REAVIVAMENTO (Revival)

O que é?

– gritar, dançar, pular, sacudir tresloucadamente?

– cantar ou tocar a mesma música, com os mesmos acordes por vários minutos seguidos, como mantras?

– jogos de luzes num ambiente escuro, com um telão ao fundo?

– ter um título de apóstolo ou bispo?

– falar ou escrever palavras específicas como chavões e repeti-las várias vezes em vários contextos na tentativa de convencer?

– tocar na alma, nas emoções, fazendo o povo chorar ou se alegrar?

– ter “profetas” que falam o que a audiência quer ouvir?

– é o nome de uma catedral?

– é provocado pelos homens?

– alguém pode ser considerado o pai ou mãe do avivamento?

– etc

 

AVIVAR – do hebraico chayah – viver, ter vida, permanecer vivo, preservar vivo, sustentar a vida, viver prosperamente, viver para sempre, reviver, estar vivo; continuar vivo, manter a vida, viver em ou a partir de; dar vida, reanimar, reavivar, revigorar, restaurar à vida, fazer crescer, deixar viver.

Reanimar, reviver, ser reanimado, ter a vida ou a saúde recuperada, restaurar (à saúde)

  • referindo-se à doença
  • referindo-se ao desencorajamento
  • referindo-se à fraqueza
  • referindo-se à morte

REVIVIFICAR – VIVIFICAR (RC Salmo 138:7).

1) Dar novas forças (Salmo 85:6).

2) Dar vida (2a Coríntios 3:6).

3) Ressuscitar (Romanos 4:17).

Do grego zoopoieo – produzir vida, gerar ou dar a luz a uma nova vida; fazer viver, tornar vivo, dar a vida – pelo poder espiritual, despertar e revigorar; restaurar a vida; dar crescimento a vida: neste caso, a vida física; do espírito, vivo no que se refere ao espírito, revestido com novos e maiores poderes de vida

Metáfora de sementes mostrando sinais de vida, i.e. germinação, brotação, crescimento.

 

Quanto tempo cada um de vocês gasta em oração individual, familiar e congregacional?

Quanto tempo dedica a leitura e ao estudo das escrituras?

Está disposto a pagar o preço para que o avivamento aconteça aqui na Igreja Local e na Igreja em Portugal?

 

Habacuque 3:2 – Tenho ouvido, ó SENHOR, as tuas declarações, e me sinto alarmado; aviva a tua obra, ó SENHOR, no decorrer dos anos, e, no decurso dos anos, faze-a conhecida; na tua ira, lembra-te da misericórdia.

 

Oséias 6:3 – Conheçamos e prossigamos em conhecer o SENHOR: como a alva, será a sua saída; e ele a nós virá como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra.

Zacarias 10:1 – Pedi ao SENHOR chuva no tempo da chuva serôdia; o SENHOR, que faz os relâmpagos, lhes dará chuveiro de água e erva no campo a cada um.

 

Chuva serôdia – do hebraico malqowsh

Última chuva, chuva da primavera; as chuvas de março e abril que amadurecem os cereais da Palestina

Procedente de laqash – respigar, colher, apanhar a colheita tardia, apanhar tudo; despojar, recolher tudo de, tirar

 

O ANDAR DO NOVO HOMEM

  • Incluído na morte na cruz
  • Incluído na sepultura
  • Incluído na sua Ressurreição pela glória do Pai

 

Está mais do que na hora da Igreja descobrir o que é e pagar o preço por ele.

A salvação teve o seu preço pago por Jesus integralmente, mas a vida cristã exige renúncia diária, tomar a cruz a cada dia.

Paulo declarou: “Estou crucificado e não sou eu quem vivo, é Cristo que vive em mim”.

Essa é a vida que precisamos.

 

Quando olhamos para a igreja moderna e comparamos com a igreja descrita nas Escrituras encontramos 100% de similaridades?

Somos capazes de encontrar as diferenças e estamos dispostos a fazer as devidas correções?

Ao olharmos para Igreja descrita nas Escrituras vemos que o Evangelho com Sinais e nós?

Atos 19:6,11,12,19; Atos 20:9-10,12; Atos 27:23-24; Atos 28:3,5,8-9; 1ª Coríntios 1:17; 1ª Coríntios 4:20; 1ª Tessalonicenses 1:5; 1ª Timóteo 1:11

 

Jeremias 6:16 – Assim diz o SENHOR: Ponde-vos nos caminhos, e vede, e perguntai pelas veredas antigas, qual é o bom caminho, e andai por ele; e achareis descanso para a vossa alma; mas eles dizem: Não andaremos.

Jeremias 18:15 – Contudo, o meu povo se tem esquecido de mim, queimando incenso à vaidade; e fizeram-nos tropeçar nos seus caminhos e nas veredas antigas, para que andassem por veredas afastadas, não aplainadas;

 

VEREDA – Caminho estreito {Nm 22.24}; Modo de viver e agir {Pv 4.18}; A condição para Deus vir ao seu povo, isto é, o arrependimento {Mt 3.3}.

 Antiga – Do hebraico ‘owlam ou  ‘olam

1) longa duração, antiguidade, futuro, para sempre, sempre, eternamente, para todos os tempos, perpétuo, velho, antigo, mundo; tempo antigo, longo tempo (referindo-se ao passado); (referindo-se ao futuro); para sempre, sempre; existência contínua, perpétuo; contínuo, futuro indefinido ou sem fim, eternidade

 

Vamos aprender um pouco com os históricos que viveram avivamento genuíno:

 POR QUE PRECISAMOS DE UM AVIVAMENTO?

————————————————————-

APELO FEITO DURANTE O AVIVAMENTO DAS ILHAS HÉBRIDAS:

“Irmãos, se não levarmos uma vida reta diante de Deus, será uma falsidade clamarmos por um avivamento, dia e noite, meses e meses seguidos. Temos que perguntar a nós mesmos: meu coração está puro? Minhas mãos estão limpas?”

 A. W. PINK:

“Ah, se pudéssemos sentir-nos mais preocupados com o estado de inanição em que se encontra hoje a causa de Cristo na terra, com os avanços do inimigo em Sião e com a devastação que o diabo tem efetuado nele. Mas infelizmente um espírito de indiferença vem imobilizando muitos de nós”.

 A. W. TOZER:

“Enquanto a liderança espiritual não voltar a ser ocupada por homens que preferem a obscuridade, continuaremos a presenciar uma constante deterioração da qualidade do cristianismo popular, e possivelmente chegaremos ao ponto em que o Espírito Santo, entristecido, se retirará, como a glória de Deus se apartou do templo”.

“Estar crucificado implica em três coisas: Primeiro, o crucificado tem os olhos sempre voltados para uma só direção; segundo, ele não pode voltar atrás; terceiro, ele não tem mais planos próprios”.

“O homem que está crucificado tem os olhos voltados para uma só direção… Ele não pode olhar para trás. O homem crucificado está olhando apenas uma direção, que é a direção de Deus, de Cristo e do Espírito Santo …. O homem na cruz não tem mais planos para si … Mas alguém fez planos para eles, e quando eles o pregaram naquela cruz, todos os seus planos desapareceram. Quando você se dispõe a morrer na cruz, você diz adeus – você não vai voltar!”

“O primeiro sinal da decadência de uma igreja é o abandono do alto conceito de Deus”

“Se enxergo corretamente, a cruz do evangelicalismo popular não é a mesma cruz que a do Novo Testamento”.

“Um cristianismo sem poder não faz nenhuma diferença fundamental na vida de um homem. A água pode mudar de líquido para vapor, de vapor para neve e de novo para líquido, e continua fundamentalmente sendo a mesma coisa. Assim, o cristianismo sem poder faz no homem diversas mudanças superficiais, porém, deixando-o exatamente igual ao que era antes”.

ALLAN REDPATH:

“À luz da cruz de Cristo, não é chocante a maneira como eu e você vivemos?”

ANDREW REED:

“Vem, Senhor, como fogo, com a chama sagrada limpar nosso coração. Que todo o nosso ser possa tornar-se uma oferta ao nome de nosso Redentor”.

ARTUR T. PIERSON:

“Se o Espírito estiver faltando, poderá haver palavras sábias, porém, sem a sabedoria de Deus, poderá haver o poder da oratória, mas não o poder de Deus; a argumentação que procura demonstrar é a lógica da escolástica, nunca, porém, a demonstração do Espírito Santo, nem a lógica irresistível como a que convenceu Paulo à porta da cidade de Damasco. Ao ser derramado o Espírito, os discípulos foram revestidos com o poder do alto, e as línguas menos doutas podiam fazer calar os mais céticos, removendo os maiores obstáculos, do mesmo modo que as matas seculares são arrasadas pelas chamas levadas pelos ventos impetuosos.”

ARTHUR WALLIS:

“A pregação apostólica não se caracteriza por uma fala impecável, nem por floreados literários, nem por expressões inteligentes, mas opera através de demonstração do Espírito e de poder”.

“Parece estranho, mas existem semelhanças e diferenças na maneira de Deus tratar os avivamentos e juízos. Devido a natureza divina, Deus não pode e não permite que um declínio espiritual continue sem sua intervenção. Ele se detém e reverte as tendências do tempo pelo avivamento ou pelo juízo. Quando o seu povo não está preparado para um, ele age através do outro. ”

BERRIDGE:

“Todo declínio espiritual começa com a negligência da oração. Nenhum coração pode desenvolver-se bem sem muita comunhão íntima com Deus; não existe nada que possa compensar a falta dela”.

CHARLES G. FINNEY:

“Quando existe falta de amor fraternal e confiança entre os crentes faz-se necessário um reavivamento. Há nesse momento um forte clamor para que Deus reavive a Sua obra. Espere por um reavivamento quando existirem dissensões, ciúmes e rumores maldosos entre os crentes. Essas coisas mostram que os cristãos se afastaram de Deus e que é hora de pensar seriamente em um reavivamento. O reavivamento é necessário quando há um espírito mundano na igreja.

Ela se afunda num estado de apostasia quando se vêem os cristãos conformes o mundo em vestimentas, festas, buscas de diversões mundanas e leituras de romances imorais. Quando a igreja encontrar seus membros caindo em pecados escandalosos e indecentes, é tempo de despertar e clamar a Deus por um reavivamento. Pode-se esperar um reavivamento quando os cristãos possuírem o espírito de oração para o reavivamento. Isto é quando orarem como se seus corações o desejarem ardentemente. Um reavivamento está perto quando os cristãos começam a confessar os pecados uns aos outros. Pode-se esperar um reavivamento quando os cristãos estiverem dispostos a fazer os sacrifícios necessários para conduzi-lo”.

“Reavivamento é renovada convicção de pecado e arrependimento, seguida de um intenso desejo de viver em obediência a Deus. É a entrega da vontade a Ele em profunda humildade”

“O milagre do avivamento é bem semelhante ao de urna colheita de trigo. Ele desce do céu quando crentes heróicos entram na batalha decididos a vencer ou morrer — e, se for necessário, vencer e morrer. O reino dos céus é tomado por esforço, e os que se esforçam se apoderam dele”.

“Sem muita oração e lágrimas não há avivamento”.

“Um avivamento espiritual sugere a idéia de que houve antes um declínio espiritual”.

“A maior necessidade de nossos dias é poder do alto”.

“O avivamento é necessário para evitar o juízo de Deus sobre a igreja… O fato é que, os crentes reclamam muito mais pela falta de avivamento do que os pecadores reclamam por não se converterem. E, se os crentes não forem despertados, podem ficar certos de que Deus os visitará em juízo. Frequentemente Deus visitava a igreja do Antigo Testamento com juízos, porque eles não se arrependiam e não buscavam o avivamento proclamado pelos profetas.”

CHARLES HADDON SPURGEON:

“O fato é que muitos gostariam de unir igreja e palco, baralho e oração, danças e ordenanças. Se nos encontramos incapazes de frear essa enxurrada, podemos, ao menos, prevenir os homens quanto à sua existência e suplicar que fujam dela. Quando a antiga fé desaparece e o entusiasmo pelo evangelho é extinto, não é surpresa que as pessoas busquem outras coisas que lhes tragam satisfação. Na falta de pão, se alimentam com cinzas; rejeitando o caminho do Senhor, seguem avidamente pelo caminho da tolice.”

“Se tivéssemos o selo do Espírito em nosso ministério, com o Seu poder, os nossos talentos pouco importariam. Os homens poderiam ser pobres e indoutos, suas palavras poderiam ser difíceis ou desprovidas de gramática; se a força do Espírito as acompanhasse, o mais humilde evangelista poderia ser mais eficiente que os mais eruditos teólogos ou do que os pregadores mais eloqüentes.

D. M. PANTON:

“Avivamento: é o Espírito Santo enchendo um corpo prestes a tornar-se um cadáver”.

 Dr. J. EDWIN ORR:

Avivamento é a guerra entre o Espírito e o Diabo.

 Dr. J. S. STEWART:

“… todas as vezes em que a igreja de Cristo experimentou uma onda de avivamento e foi por ela conduzida de volta à realidade e a uma consagração pessoal, milhares e milhares de pessoas redescobriram o apóstolo Paulo e se entusiasmaram de novo com a música de sua mensagem”.

 Dr. MOFFAT GOUTREY:

“O evangelho não é uma história velha contada e recontada. Não; é o fogo do Espírito que arde em nós, alimentado pelas chamas do Amor eterno. E ai de nós se esse fogo baixar pelo fato de não avivarmos o dom de Deus que há em nós”.

DAVID WILKERSON:

“Despertem-se! Vocês não estão arruinados como pensam. O Senhor, sua força, ainda está com vocês. Então, levantem-se do pó do desalento, e assentem-se nos lugares celestiais que lhes prometi. Vocês não perderam sua retidão, portanto vistam-se com suas roupagens. Sacudam-se, falem consigo mesmos, deem-se um sermão. E digam à carne e ao Diabo, ‘Sou mais que vencedor por meio daquele que me salvou.’” (Isaías 52:1-3, parafraseado).

DUNCAN CAMPBELL:

“A necessidade mais premente de nossos dias é de um batismo de santidade, uma demonstração de um viver santo”.

F. LINCICOME:

“Nunca foi intenção de Deus que a Igreja se tornasse uma geladeira para preservar a perecível religiosidade humana. Sua intenção era que ela fosse uma incubadeira, onde se desenvolveriam novos convertidos”.

 G. DELL:

“Os ministros do Evangelho precisam ter este poder do Espírito Santo, porque de outro modo não serão suficientes com os seus próprios recursos para o ministério. Pois ninguém com as suas próprias possibilidades naturais, com a sua educação e com os seus conhecimentos se basta para o trabalho do ministério. Só o poder do Espírito Santo é o que importa; enquanto não dispuser dessa força, apesar de todas as suas realizações, o ministro será totalmente insuficiente. Foi por isso até os próprios apóstolos tiveram de se manter em silêncio, enquanto não lhes fosse concedido o poder; por isso, tiveram de esperar em Jerusalém, até receberem a promessa do Espírito, sem abrir a boca para pregar.

Se não possuírem esse poder do Espírito Santo, não disporão de força alguma. E, assim, vendo que os ministros do Evangelho não recebem poder daqui de baixo, é absolutamente indispensável que obtenham o poder do alto; vendo que nada vale o poder carnal, vendo que é necessário que disponham de poder espiritual; vendo que não adiantam os recursos da terra e dos homens, é preciso que tenham poder do céu e de Deus; isto é, que o poder do Espírito Santo desça sobre eles, se não for assim não terão força alguma.”

 G. ARTHUR:

“Só seremos dotados o Fogo Sagrado, esperando diante do trono da graça. Aquele que espera cheio de fé por um tempo suficientemente longo, ficará aquecido por esse fogo e sairá dessa comunhão com Deus, trazendo os sinais do local onde esteve. O crente individualmente, e sobretudo todo aquele que trabalha na vinha do Senhor, só adquire o Poder espiritual pelo batismo, quando permanece secretamente no trono de Deus.

Se tu quiseres ter tua alma saturada com o Fogo de Deus, de modo que os que se aproximarem de ti sintam alguma influência misteriosa irradiada pela Sua presença, é necessário que te aproximes da fonte de onde emana esse Fogo, do trono de Deus e do Cordeiro, afastando-te do mundo gélido que tão suavemente faz esse Fogo se extinguir. Entra no teu quarto, fecha a tua porta e, aí, a sós diante do trono, espera pelo Batismo. E então o fogo descerá sobre ti e quando saíres estarás provido com o Santo Poder, para trabalhares não com tuas próprias forças, mas na demonstração do Espírito e do Poder”.

 J.I. BRICE:

“Parece que a Igreja parou num ponto qualquer entre o Calvário e o Pentecostes”.

JAMES GILMOUR, DA MONGÓLIA:

“Será que em nossos dias não estamos confiando demais no braço de carne? Por que será que não podemos presenciar as mesmas maravilhas que ocorreram no passado? Os olhos do Senhor não passam mais por toda a terra para mostrar-se forte para com aqueles que confiam totalmente nele? Ah, que Deus me conceda uma fé mais prática! Onde está o Senhor, o Deus de Elias? Está esperando que Elias clame por ele”.

JOSEPH PARKER:

“O homem que prega um pequeno sermão sobre arrependimento é arremetido contra o seu tempo, e será sempre maltratado sem misericórdia por aqueles que ele desafia. Só existe uma saída para tal pregador: Ter a cabeça cortada! É melhor que pare de pregar sobre arrependimento, a menos que ele tenha encomendado sua cabeça aos céus.”

Aquele que prega arrependimento está-se colocando contra este século, e enquanto insistir nisso será impiedosamente atacado pela geração cuja fraqueza moral aponta. Para tal tipo de pessoa só existe um fim: “Sua cabeça vai rolar!” É melhor ninguém começar a pregar o arrependimento enquanto não confiar sua cabeça ao céu”.

LEONARD RAVENHILL:

Será que um marinheiro ficaria parado se ouvisse o clamor de um náufrago? Será que um médico permaneceria sentado comodamente, deixando seus pacientes morrerem? Será que um bombeiro, ao saber que alguém está perecendo no fogo, ficaria parado e não iria prestar-lhe socorro? E você, conseguiria ficar “à vontade em Sião” vendo o mundo ao seu redor ser condenado?”

PAUL S. REES:

“Embora o avivamento e o evangelismo estejam intimamente relacionados, na verdade são duas obras distintas. O avivamento é uma experiência da Igreja; o evangelismo, a expressão dela”.

 

 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.