ELEIÇÃO E PREDESTINAÇÃO

Eleição e predestinação é um assunto muito controverso, com algumas tendências incompletas e que não traduzem por completo aquilo que Deus pretende.

Nos prendemos a duas visões, o calvinismo e o arminianismo, para tratar de tal assunto tão importante e por que não podemos nos ater a uma visão totalmente bíblica que possa traduzir o que está no coração de Deus, através de Sua Palavra?

Inicialmente precisamos compreender os conceitos definidos pelo Dicionário Bíblico da SBB

Predestinados – do grego proorizo

1) predeterminar, decidir de antemão

2) no NT do decreto de Deus desde a eternidade

3) preordenar, designar de antemão

Predestinar – Escolher (Romanos 8:29-30; Efésios 1:5,11); v. Eleição.

Eleição – Ato eterno e insondável de Deus, pelo qual, em sua soberana vontade, ele escolheu uma família (Neemias 9:7), uma nação (Deuteronômio 4:32-40) ou um indivíduo (1a Tessalonicenses 1:4) – sem nenhum merecimento por parte deles (Romanos 9:11) – para, por meio de Jesus Cristo (Efésios 1:4), receberem a graça da salvação (Romanos 11:5-6) e realizarem a sua vontade neste mundo (Isaías 41:8; Colossenses 3:12; 1a Pedro 1:2; 2a Pedro 1:10).

Eleitos – do grego eklektos

1) selecionado, escolhido

1a) escolhido por Deus,

1a1) para obter salvação em Cristo

1a1a) cristãos são chamados de “escolhidos ou eleitos” de Deus

1a2) o Messias e/ chamado “eleito”, designado por Deus para o mais exaltado ofício concebível

1a3) escolha, seleção, i.e. o melhor do seu tipo ou classe, excelência preeminente: aplicado a certos indivíduos cristãos

Condenado – do grego katakrino

1) emitir julgamento contra, julgar digno de punição

1a) condenar

1b) pelo bom exemplo, tornar a maldade de outro mais evidente e censurável

Condenado – do grego katadikazo

1) trazer julgamento contra (alguém), anunciar ser culpado

2) condenar

Presciência – Capacidade de conhecer o futuro (Atos 2:23).

Tendo estabelecido as definições mais importantes para este tema, precisamos entender que a punição para o pecado foi estabelecida na eternidade. Lá na eternidade Deus estabeleceu os parâmetros e princípios que deveriam ser seguidos pelos seres celestiais e pela humanidade que seria criada muito tempo depois.

Mesmo assim, em algum momento da eternidade, um querubim ungido permitiu a soberba no seu coração, querendo ser semelhante ao Altíssimo, enganou a ⅓ do céu, e por isso recebeu a justa condenação. (Isaías 14:8-20; Ezequiel 28:11-19).

É importante notar que Deus sendo presciente, não interviu antes ou durante o momento de rebelião, tanto do querubim ungido quanto dos demais que o seguiram. Deus não interferiu na decisão daqueles seres celestiais, porque Ele nunca impõe a sua autoridade, apesar Dele ser a Autoridade, mesmo Ele sendo Deus, total e absoluto e Sua glória não ser dado a ninguém.

É interessante notar isso, Deus deseja que todos os seres, sejam os celestiais ou os humanos, o adorem em espirito e em verdade (João 4:23-24), ou seja,

Deus deseja que todos o adorem pelo poder do Seu conhecimento, pelo desejo, decisão e ação pessoal, pela disposição ou influência que preenche e governa a alma (os sentimentos, etc) de alguém que O tenha como a fonte eficiente de todo poder, afeição, emoção, desejo, etc.

E em verdade como excelência pessoal, com sinceridade de mente, livre de paixão, pretensão, simulação, falsidade ou engano.

Quando observamos o relato do Profeta Isaías, podemos entender o desejo de Deus à perfeição

Isaías 6:1-7No ano em que morreu o rei Uzias, eu vi ao Senhor assentado sobre um alto e sublime trono; e o seu séquito enchia o templo. 

Os serafins estavam acima dele; cada um tinha seis asas: com duas cobriam os seus rostos, e com duas cobriam os seus pés e com duas voavam. E clamavam uns para os outros, dizendo: Santo, Santo, Santo é o Senhor dos Exércitos: toda a terra está cheia da sua glória.

E os umbrais das portas se moveram com a voz do que clamava, e a casa se encheu de fumo.

Então disse eu: Ai de mim, que vou perecendo! porque eu sou um homem de lábios impuros, e habito no meio de um povo de impuros lábios: e os meus olhos viram o rei, o Senhor dos Exércitos!

Mas um dos serafins voou para mim trazendo na sua mão uma brasa viva, que tirara do altar com uma tenaz; E com ela tocou a minha boca, e disse: Eis que isto tocou os teus lábios; e a tua iniqüidade foi tirada, e purificado o teu pecado.

O que aconteceu depois que o empecilho foi removido?

  1. Visão – ele viu o Senhor – v. 1
  2. Convicção – reconheceu o seu pecado – v. 5
  3. Purificação – foi limpo do pecado – v. 7
  4. Chamado – quem há de ir por nós? – v. 8
  5. Disposição – eis-me aqui – v. 8

Isaías viu como os seres celestiais portam-se diante da santidade de Deus e ao ver isso se deu conta do seu pecado, a santidade de Deus mostra a nossa insignificância e mostra que um Deus tão grandioso, tão poderoso se importa conosco. Os seres celestiais têm a mesma visão desde a eternidade e ainda continuam clamando:

Apocalipse 4:8E os quatro animais tinham, cada um de per si, seis asas, e ao redor, e por dentro, estavam cheios de olhos; e não descansam nem de dia nem de noite, dizendo: Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus, o Todo-poderoso, que era, e que é, e que há de vir.

Apocalipse 15:4 Quem te não temerá, ó Senhor, e não magnificará o teu nome? Porque só tu és santo; por isso todas as nações virão, e se prostrarão diante de ti, porque os teus juízos são manifestos.

Aqueles seres celestiais que se seguiram o querumbim ungido em sua rebelião, ⅓ do céu, receberam a justa condenação porque tinham esta visão diariamente e mesmo assim permitiram a corrupção em seu coração.

Mateus 25:41Então, dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos;

Mateus declara que o fogo eterno foi preparado para o diabo e seus anjos, para aquele que era querubim ungido mas quis ser semelhante ao Altíssimo.

Isaías 14:13-15E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, da banda dos lados do norte. Subirei acima das mais altas nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo. E contudo levado serás ao inferno, ao mais profundo do abismo.

Vemos que o inferno não foi criado para o homem, mas para o diabo e seus anjos!

Porém, aquele mesmo ser que corrompeu ⅓ do céu, foi lançado à terra, e quando viu a criação perfeita de Deus, o ser humano, tentou e conseguiu também enganar a mulher, que por sua vez, levou o engano ao homem e este se deixou seduzir. Logo a perfeita criação de Deus também recebeu a justa condenação, conforme está escrito, passando o pecado e a morte a toda a humanidade.

Assim sendo tanto os seres celestiais que pecaram quanto a humanidade, estão debaixo de condenação eterna.

Marcos 16:16Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.

João 3:18 – Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado; porquanto não crê no nome do Unigênito Filho de Deus.

Quanto a humanidade resta o sacrifício de Jesus Cristo, a manifestação da maravilhosa graça de Deus, para que todo aquele nele crer não pereça mas tenha a vida eterna.

João 3:16-21Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.

Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado; porquanto não crê no nome do Unigênito Filho de Deus.

E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más.

Porque todo aquele que faz o mal aborrece a luz, e não vem para a luz para que as suas obras não sejam reprovadas.

Mas quem pratica a verdade vem para a luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque são feitas em Deus.

Então é lógico que Deus não criou ninguém para maldição ou perdição, entretanto por causa do pecado, o homem se colocou nesse lugar de destruição.

Apesar de a grande traição cometida por Adão, Deus nunca desistiu do homem. O primeiro Adão sempre deveria apontar para o segundo Adão (Jesus Cristo), sem pecado, sem falha, sem possibilidade de traição.

Deus procurou manter a comunhão com o homem, tanto que Enoque (o sétimo depois de Adão) foi um grande exemplo, andou com Deus e foi tomado (Gênesis 5). Este Enoque também profetizou sobre a vinda do Senhor (Judas 1:14).

Homens como Enoque eram escassos naquele tempo. O pecado dominava e arrasava a terra, causando o arrependimento de Deus em ter criado a humanidade, porém Ele não desistiu da Sua criação, o Seu propósito é eterno.

Nomeou Noé (o pregoeiro da justiça – 2ª Pedro 2:5), o qual preparou a arca após ser divinamente avisado, pela qual o mundo foi condenado e apenas 8 almas se salvaram, mantendo o projeto de Deus. (Hebreus 11:7; 1ª Pedro 3:20; 2ª Pedro 2:5).

Após muitos e muitos anos, Abrão deu continuidade ao projeto de Deus (Gênesis 12). Esse homem deu inúmeras provas de fé e fidelidade, mantendo seu relacionamento com Deus a qualquer custo. O próprio Deus trocou o seu nome para Abraão (pai de multidão – Gênesis 17). Esse relacionamento preparou o caminho para a Graça através da fé (Gálatas 3:6-9).

Em Abraão, Deus elegeu um povo particularmente seu, nasceu Isaque o filho da promessa. Este gerou Esaú e Jacó. Deus escolheu Jacó e seu nome foi trocado para Israel. Teve 12 filhos que deram origem às tribos de Israel (1ª Pedro 2:9).

Dos filhos de Levi, após um longo período, nasceu Moisés. Este foi o libertador de Israel após um longo período de cativeiro e escravidão, 430 anos, no Egito.

O Antigo Testamento (AT) com seus princípios, histórias e rituais serviu para apresentar a Cristo e representavam uma imagem em 3D, uma maquete, um projeto, ou, uma sombra da Luz que deveria vir. Todos direcionavam para a obra completa de Deus em Jesus Cristo: desde Adão, passando por Abraão, Moisés (o tabernáculo, a Lei, os sacrifícios), Davi e todos os salmistas, os juízes e profetas, até o último e maior profeta de todos, João Batista.

Adão prefigurava Cristo (perfeito, cheio de poder, investido de autoridade e domínio, tendo a semelhança de Deus). Entretanto, Adão rejeitou a semelhança e perfeição de Deus, o poder, autoridade e domínio, preferindo por engano o pecado. A consequência deste ato tresloucado foi: perda da comunhão e intimidade com Deus, perda da imagem e semelhança de Deus, expulsão da presença de Deus, expulsão do paraíso, maldição e condenação, escravidão pelo pecado e pelo diabo. Piorando ainda mais a situação, Adão entregou o poder e a autoridade deste mundo ao diabo (Lucas 4:6).

Porém o propósito eterno de Deus continuou firme indicando e apontando para Cristo, comprovando que todo o passado era uma sombra da verdadeira Luz.

Moisés consolidou a sombra, a maquete, o projeto, o CAD em 3D: ao receber os 10 mandamentos e instituindo a Lei com seus 613 mandamentos ou 613 vomitivo; ao edificar o tabernáculo (lugar de habitação, moradia), com suas três partes: átrio, lugar santo e santo dos santos (equivalentes ao nosso corpo, alma e espírito); ao estabelecer o sacerdócio levítico com seus rituais e sacrifícios.

Porém, conforme relatou Lucas, o médico amado, O Deus que fez o mundo e tudo que nele há, sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens (Atos 17:24). E o nosso querido Apóstolo Paulo questionou a Igreja de Corinto e a nós também:

1ª Coríntios 3:16 Não sabeis vós que sois o templo de Deus, e que o Espírito de Deus habita em vós?

Então quando observamos que no passado Deus escolheu um e aborreceu a outro, na realidade estava apontando para o Seu projeto perfeito que é a Igreja.

Com Israel Deus mostrou que queria um povo Seu, exclusivo, mas isso não se restringia a Israel, pois os judeus fizeram muitos prosélitos, aqueles que creram no Deus único e se tornavam judeus por causa disso. Mesmo na saída do Egito, muitos estrangeiros saíram com o povo de Deus (Números 11:4)

Prosélito – gentio que segue a religião judaica (Mateus 23:15; Atos 13:43).

Entretanto na dispensação dos tempos quando o Messias veio, os seus não o receberam, mas a todos quantos o receberam deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome (João 1:10-13).

A soberania de Deus não é questionável. Jó tentou fazer isso, quando apresentou 16x por que? 34X fez as suas queixas. Deus não lhe respondeu nenhuma vez, mas lhe fez 70 perguntas.

Romanos 9:1-33 – Em Cristo digo a verdade, não minto (dando-me testemunho a minha consciência no Espírito Santo): Que tenho grande tristeza e contínua dor no meu coração. Porque eu mesmo poderia desejar ser separado de Cristo, por amor de meus irmãos, que são meus parentes segundo a carne; Que são israelitas, dos quais é a adoção de filhos, e a glória, e os concertos, e a lei, e o culto, e as promessas; Dos quais são os pais, e dos quais é Cristo segundo a carne, o qual é sobre todos, Deus bendito eternamente: Amém.

Não que a palavra de Deus haja faltado, porque nem todos os que são d’ Israel são israelitas; Nem por serem descendência de Abraão são todos filhos; mas: Em Isaque será chamada a tua descendência.

Isto é: não são os filhos da carne que são filhos de Deus, mas os filhos da promessa são contados como descendência.

Porque a palavra da promessa é esta: Por este tempo virei, e Sara terá um filho.

E não somente esta, mas também Rebeca, quando concebeu de um, de Isaque nosso pai;  Porque, não tendo eles ainda nascido, nem tendo feito bem ou mal (para que o propósito de Deus, segundo a eleição, ficasse firme, não por causa das obras, mas por aquele que chama), Foi-lhe dito a ela: O maior servirá o menor.

Como está escrito: Amei Jacó, e aborreci Esaú.

Que diremos pois? que há injustiça da parte de Deus? de maneira nenhuma.

Pois diz a Moisés: Compadecer-me-ei de quem me compadecer, e terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia.

Assim, pois, isto não depende do que quer, nem do que corre, mas de Deus, que se compadece.

Porque diz a Escritura a Faraó: Para isto mesmo te levantei; para em ti mostrar o meu poder, e para que o meu nome seja anunciado em toda a terra.

Logo pois compadece-se de quem quer, e endurece a quem quer.

Dir-me-ás então: Por que se queixa ele ainda? Porquanto, quem resiste à sua vontade?

Mas, ó homem, quem és tu, que a Deus replicas? Porventura a coisa formada dirá ao que a formou: Por que me fizeste assim?

Ou não tem o oleiro poder sobre o barro, para da mesma massa fazer um vaso para honra e outro para desonra?

E que direis se Deus, querendo mostrar a sua ira, e dar a conhecer o seu poder, suportou com muita paciência os vasos da ira, preparados para perdição;

Para que também desse a conhecer as riquezas da sua glória nos vasos de misericórdia, que para glória já dantes preparou, Os quais somos nós, a quem também chamou, não só dentre os judeus, mas também dentre os gentios?

Como também diz em Oséias: Chamarei meu povo ao que não era meu povo; e amada à que não era amada.

E sucederá que no lugar em que lhes foi dito: Vós não sois meu povo; aí serão chamados filhos do Deus vivo.

Também Isaías clamava acerca d’Israel: Ainda que o número dos filhos d’Israel seja como a areia do mar, o remanescente é que será salvo.

Porque o Senhor executará a sua palavra sobre a terra, completando-a e abreviando-a.

E como antes disse Isaías: Se o Senhor dos Exércitos nos não deixara descendência, teríamos sido feitos como Sodoma, e seríamos semelhantes a Gomorra.

Que diremos pois? Que os gentios, que não buscavam a justiça, alcançaram a justiça? Sim, mas a justiça que é pela fé.

Mas Israel, que buscava a lei da justiça, não chegou à lei da justiça.

Por quê? Porque não foi pela fé, mas como que pelas obras da lei: tropeçaram na pedra de tropeço; Como está escrito: Eis que eu ponho em Sião uma pedra de tropeço, e uma rocha de escândalo; e todo aquele que crer nela não será confundido.

Vamos entender melhor essa expressão:  »Amei Jacó, e aborreci Esaú!« Começaremos por entender as diferenças entre os dois.

JACÓ – Enganador – “aquele que segura o calcanhar” ou “suplantador”

Suplantar – transitivo direto.

  • Calcar com os pés; pisar, espezinhar.
  • Prostrar aos pés (o vencido); derrubar.
  • Fazer (alguém) perder um favor, um emprego etc., tomando-lhe o lugar.
  • Conseguir vantagem sobre (outrem ou si mesmo); sobrepujar(-se), superar(-se).
  • Exceder, superar.
  • Vencer (um obstáculo ou dificuldade); superar.
  • Filho de Isaque e Rebeca e irmão gêmeo de Esaú (Gênesis 25:21-26).
  • A Esaú cabia o direito de primogenitura por haver nascido primeiro, mas Jacó comprou esse direito por um cozido (Gênesis 25:29-34).
  • Jacó enganou Isaque para que este o abençoasse (Gênesis 27:1-41).
  • Ao fugir de Esaú, Jacó teve a visão da escada que tocava o céu (Gênesis 27:42-28:22).
  • Casou-se com Léia e Raquel, as duas filhas de Labão (Gênesis 29:1-30).
  • Foi pai de 12 filhos e uma filha.
  • Em Peniel lutou com o Anjo do Senhor, tendo recebido nessa ocasião o nome de ISRAEL ( Gênesis 32).
  • Para fugir da fome, foi morar no Egito, onde morreu (Gênesis 42-46; 49).
  • Nome do povo de Israel (Números 24:5).

Israel – O Que Luta com Deus – “ele será um príncipe de Deus”

1) Nome dado por Deus a Jacó (Gênesis 32:28). Nome dado ao patriarca Jacó (e mantido por ele em adição ao seu nome anterior)

2) Família ou descendentes de Israel, a nação de Israel Nome do povo composto das 12 tribos descendentes de Jacó (Êxodo 3:16).

3) Nome das dez tribos que compuseram o Reino do Norte, em contraposição ao Reino do Sul, chamado de Judá (1o Reis 14:19).

4) Designação de todo o povo de Deus, a Igreja (Gálatas 6:16).Cristãos, o Israel de Deus, pois nem todos aqueles que são descendentes de sangue de Israel são verdadeiros israelitas, i.e., aqueles a quem Deus declara ser israelitas e escolhidos para salvação

Gálatas 6:16E a todos quantos andarem conforme esta regra, paz e misericórdia sobre eles e sobre o Israel de Deus.

Esaú – Peludo

  • Irmão gêmeo de Jacó (Gênesis 25:25).
  • Vendeu o direito de PRIMOGENITURA, quando estava faminto, ao seu irmão, por comida, por um cozido de lentilhas (Gênesis 25:30-34). E a bênção divina ficou com Jacó
  • Perseguiu Jacó para matá-lo (Gênesis 27), porém mais tarde fez as pazes com ele (Gênesis 32:3-33:17).
  • Progenitor dos povos árabes

Por vezes queremos ler as Escrituras no sentido literal, mas precisamos ler num sentido mais amplo. Porém quando o sentido deve ser literal há os que querem poetizar, criar narrativas que podem levar a um profundo engano. Por isso precisamos ter muito cuidado.

No entanto nesse texto que menciona »Amei Jacó, e aborreci Esaú!« precisamos entender num sentido mais amplo.

Já fizemos a seguinte afirmação, aqui neste texto: Então quando observamos que no passado Deus escolheu um e aborreceu a outro, na realidade estava apontando para o Seu projeto perfeito que é a Igreja.

Com Israel Deus mostrou que queria um povo Seu, exclusivo, mas isso não se restringia a Israel, pois os judeus fizeram muitos prosélitos, aqueles que creram no Deus único e se tornavam judeus por causa disso. Mesmo na saída do Egito, muitos estrangeiros saíram com o povo de Deus (Números 11:4).

Entretanto na dispensação dos tempos quando o Messias veio, os seus não o receberam, mas a todos quantos o receberam deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome (João 1:10-13).

Esaú e Jacó demonstram perfeitamente essa afirmação. Pois Jacó representa o povo escolhido por Deus e Esaú representa o povo que rejeitou a promessa. Lembrem: Deus é presciente. Quando Deus aborreceu Esaú e amou a Jacó, Ele estava demonstrando e avisando, por Sua infinita sabedoria, o que viria acontecer muito tempo depois.

O povo que tinha primogenitura, que tinha a bênção por direito, que tinha as promessas, deliberadamente rejeitou. Aquele que era povo escolhido, reino de sacerdotes, nação santa, propriedade exclusiva de Deus, rejeitou a primogenitura, desde sempre quiseram ser iguais aos outros.

1o Samuel 8:4-8 Então todos os anciãos de Israel se congregaram, e vieram a Samuel, a Ramá, E disseram-lhe: Eis que já estás velho, e teus filhos não andam pelos teus caminhos: constitui-nos pois agora um rei sobre nós, para que ele nos julgue, como o têm todas as nações.

Porém esta palavra pareceu mal aos olhos de Samuel, quando disseram: Dá-nos um rei, para que nos julgue. E Samuel orou ao Senhor.

E disse o Senhor a Samuel: Ouve a voz do povo em tudo quanto te disserem, pois não te tem rejeitado a ti, antes a mim me tem rejeitado para eu não reinar sobre eles.

Conforme a todas as obras que fizeram desde o dia em que os tirei do Egito até ao dia de hoje, pois a mim me deixaram, e a outros deuses serviram, assim também te fizeram a ti.

Quanto ao Profeta Jeremias, este declarou:

Jeremias 2:13Porque o meu povo fez duas maldades: a mim me deixaram, o manancial de águas vivas, e cavaram cisternas, cisternas rotas, que não retêm as águas.

Assim sendo, podemos compreender porque Deus mostrou o Seu poder, a Sua sabedoria, o Seu conhecimento, a Sua autoridade ao amar Jacó e rejeitar a Esaú, sendo uma metáfora do que viria a acontecer com os descendentes de Abraão, afinal Não que a palavra de Deus haja faltado, porque nem todos os que são d’ Israel são israelitas; Nem por serem descendência de Abraão são todos filhos; mas: Em Isaque será chamada a tua descendência.

Isto é: não são os filhos da carne que são filhos de Deus, mas os filhos da promessa são contados como descendência.

Esaú era filho na carne de Isaque, o primogénito, porém rejeitou o seu direito por um simples prato de lentilha, aquele que não tinha direito a bênção acabou por recebe-la.

Assim acontece com Israel e a Igreja. Israel tinha o direito, porem recusou, a Igreja que não tinha direito passou a ter e recebeu a primogenitura e as bênçãos envolvidas (1a Pedro 2:4-12).

Quantas vezes Israel rejeitou a Deus. Todas as vezes estão relatadas no AT. Aqueles que não eram Dele, receberam o direito de serem feitos filhos, herdeiros da promessa, porque creram, não viram e creram (João 20:29b).

Por isso Deus afirmou que rejeitou a Esaú e amou a Jacó, e nesse caso não esta tratando de pessoas especificas, mas está mostrando o Seu propósito. Quantas vezes agiu dessa maneira no AT, acões que na realidade eram metáforas.

Metáfora – é uma figura de linguagem muito utilizada para fazer comparações por semelhança. É o uso de uma palavra com o significado de outra. É um tipo de comparação subjetiva, momentânea.

VASO ESCOLHIDO

Atos 9:15-16Disse-lhe, porém, o Senhor: Vai, porque este é para mim um vaso escolhido, para levar o meu nome diante dos gentios, e dos reis e dos filhos d’Israel. E eu lhe mostrarei quanto deve padecer pelo meu nome.

João 15:16 Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda.

Romanos 9:21Ou não tem o oleiro poder sobre o barro, para da mesma massa fazer um vaso para honra e outro para desonra?

1a Tessalonicenses 4:4Que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santificação e honra;

2a Timóteo 2:21De sorte que, se alguém se purificar destas coisas, será vaso para honra, santificado e idôneo para uso do Senhor, e preparado para toda a boa obra.

Tipos de vasos

Lemos no Novo Testamento que existem de vasos de ouro, de prata, de pau, de barro, de madeira preciosíssima, de bronze, de ferro, de mármore e de marfim. Lemos de vasos jarrões, de vasos móveis, de vasos bens, de vasos navios, de vasos sacos.

Mas há também vasos vivos. Este é o sentido figurado da palavra. Já não se trata de vasos como objetos, mas de pessoas que são vasos. Tratando-se duma metáfora.

Para que serve um vaso? Um vaso pode servir só como ornamento, só para ser visto. Mas em termos de utilidade prática, um vaso serve como recipiente, serve para conter algo, seja uma planta, um líquido ou uma joia.

Ora, o texto acabado de citar fala-nos de vasos diferentes, uns honrosos e outros desonrosos. A diferença entre os vasos reside naquilo que eles contêm. Não naquilo que aparentam.

Tesouro em vasos de barro

Vaso de barro = humanidade, fragilidade. Pessoas frágeis, pobres, indignas.

Estes vasos somos nós, a quem Jesus arrancou da lama, limpou e quer usar.

Vasos talvez quebrados em pedaços, por uma vivência destrutiva, mas em que o Senhor reúne os fragmentos (cacos) e reconstitui o vaso, pela ação do Espírito Santo. Ele faz isso por nos amar e para nos usar.

Pessoas que foram purificadas pela aspersão do sangue de Cristo, isto é, regeneradas, promovidas duma situação de vergonha e miséria a uma posição de honra e dignidade.

Deus por Sua graça colocou Seu tesouro em nós, tirou a imundície, mas continuamos: sendo vasos de barro, sendo frágeis, continuamos a padecer: sofrimentos, doenças, tribulações, dificuldades, tristezas, etc. Mas temos paz! Atribulados, mas não angustiados!

E o que acontece aos vasos-pessoas que Ele chamou a Si, para a Sua obra?

  • Servem para erguer bem alto a luz de Cristo, ou para a tapar?
  • Manifestam-se ousadamente ao lado de Jesus e dos que Ele quer recuperar, quer erguer da miséria e da solidão?
  • Ou envergonham-se e demitem-se

Somos vasos. Vasos vivos.

  • Vazios ou ocupados?
  • E se ocupados, o que há dentro de nós?
  • Ódio, amargura, indiferença, acomodação, egoísmo?
  • Somos vasos cheios de nós próprios, vasos de barro cheios de barro?

OURO, PRATA, PAU, BARRO

Tem a ver com os graus ou níveis de conhecimento e de revelações do Senhor (1a Coríntios 4:6-16)

Deus estabelece vasos para honra e vasos para desonra, dentre os que creem ele estabelece os vasos para honra e dentro dos que não creem os vasos para desonra. Assim, pois, isto não depende do que quer, nem do que corre, mas de Deus, que se compadece. Porque diz a Escritura a Faraó: Para isto mesmo te levantei; para em ti mostrar o meu poder, e para que o meu nome seja anunciado em toda a terra.

Paulo, que creu, foi escolhido um vaso para honra, e a ele foi dado o direito de padecer pelo nome de Jesus. Faraó, que não creu, foi escolhido para mostrar o poder de Deus, quando foi desonrado, vencido e teve seu poder destruído, ao ter o seu coração endurecido.

Gostei de algo que ouvi recentemente:

Imagine uma porta muito alta e sobre ela um letreiro: »vinde a mim, vós que estais cansados e oprimido e Eu vos aliviarei«.

Convite feito a todos, todos estão convidados, a porta está aberta, todos venham, creiam, sejam perdoados, recebam o perdão de seus pecados, Deus chama vocês.

Passa alguém e olha e pensa: não quero saber disso, isso é coisa de crente, e vai embora. Passa outra pessoa, olha, mas vai embora. Vem outra pessoa, se encosta, passa 1 ou 2 meses, mas vai embora também.

Então chega alguém, lê o letreiro e pensa: isso é para mim, é exatamente isso, eu escolho entrar. E entra.

E quando ela entra, do lado interno, está escrito: »Só pode vir a mim aquele que o Pai trouxer«.

Você entrou, mas só entrou porque Deus lhe trouxe, e depois que entrou você olha para trás e cai de joelhos e diz: »Se o Senhor não tivesse me chamado, se não tivesse me persuadido, se não tivesse me iluminado, me atraído com cordas de amor, eu nunca teria entrado.

Antes parece que era uma decisão sua, eu quero, eu entro. Mas depois que entra entende que é só pela graça, só pela graça que eu estou aqui hoje. Não de obras para ninguém se glorie, pois toda a glória é de Deus.

A IRA DE DEUS CONTRA O PECADO

Romanos 1:18-32 NVT – Assim, Deus mostra do céu sua ira contra todos que são pecadores e perversos, que por sua maldade impedem que a verdade seja conhecida. Sabem a verdade a respeito de Deus, pois ele a tornou evidente.

Por meio de tudo que ele fez desde a criação do mundo, podem perceber claramente seus atributos invisíveis: seu poder eterno e sua natureza divina.

Portanto, não têm desculpa alguma.

Sim, eles conheciam algo sobre Deus, mas não o adoraram nem lhe agradeceram. Em vez disso, começaram a inventar ideias tolas e, com isso, sua mente ficou obscurecida e confusa.

Dizendo-se sábios, tornaram-se tolos. Trocaram a grandeza do Deus imortal por imagens de seres humanos mortais, bem como de aves, animais e répteis.

Por isso, Deus os entregou aos desejos pecaminosos de seu coração. Como resultado, praticaram entre si coisas desprezíveis e degradantes com o próprio corpo.

Trocaram a verdade sobre Deus pela mentira. Desse modo, adoraram e serviram coisas que Deus criou, em lugar do Criador, que é digno de louvor eterno! Amém.

Por isso, Deus os entregou a desejos vergonhosos. Até as mulheres trocaram sua forma natural de ter relações sexuais por práticas não naturais. E os homens, em vez de ter relações sexuais normais com mulheres, arderam de desejo uns pelos outros. Homens praticaram atos indecentes com outros homens e, em decorrência desse pecado, sofreram em si mesmos o castigo que mereciam.

Uma vez que consideraram que conhecer a Deus era algo inútil, o próprio Deus os entregou a um inútil modo de pensar, deixando que fizessem coisas que jamais deveriam ser feitas.

A vida deles se encheu de toda espécie de perversidade, pecado, ganância, ódio, inveja, homicídio, discórdia, engano, malícia e fofocas. Espalham calúnias, odeiam a Deus, são insolentes, orgulhosos e arrogantes. Inventam novas maneiras de pecar e desobedecem a seus pais. Não têm entendimento, quebram suas promessas, não mostram afeição nem misericórdia.

Sabem que, de acordo com a justiça de Deus, quem pratica essas coisas merece morrer, mas ainda assim continuam a praticá-las. E, o que é pior, incentivam outros a também fazê-lo.

Ninguém, absolutamente, ninguém, sejam seres espirituais ou humanos, poderá apresentar qualquer tipo de desculpa por permanecer no pecado. Todos os seres humanos são inacusáveis ou indesculpáveis.

Romanos 1:20 RC – Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis;

Inescusáveis ou indesculpável – do grego anapologhtov anapologetos

  1. sem defesa ou desculpa
  2. aquilo que não pode ser defendido, indesculpável

Os seres espirituais receberam a condenação eterna, sem possibilidade de indulto ou graça, porem aos seres humanos, em Jesus Cristo, foi dado a possibilidade de comutação da pena, a todo o que crer não será condenado.

Porém aos que não creram, seja pela pregação do Evangelho, ou pela manifestação da glória de Deus nas coisas visíveis, afinal, por meio de tudo que ele fez desde a criação do mundo, podem perceber claramente seus atributos invisíveis: seu poder eterno e sua natureza divina, a condenação já está lavrada, aguardando apenas a execução eterna da pena.

Por isso os que creem estão eleitos e predestinados à salvação eterna e os que não creem estão eleitos e predestinados a maldição eterna. Assim sendo se numa casa tiver 2 pessoas, uma que crê e outra que não crê, uma está eleita e predestinada à bênção eterna e a outra à maldição eterna. Não é uma questão de ser Maria ou José, isto não é nominal, pessoal, mas condicional a crer ou não crer.

ELEIÇÃO – textos bíblicos

Lucas 4:18-27 – O Espírito do Senhor é sobre mim, pois que me ungiu para evangelizar os pobres, enviou-me a curar os quebrantados do coração, a apregoar liberdade aos cativos, e dar vista aos cegos; a pôr em liberdade os oprimidos; a anunciar o ano aceitável do Senhor.

E, cerrando o livro, e tornando-o a dar ao ministro, assentou-se; e os olhos de todos na sinagoga estavam fitos nele.

Então começou a dizer-lhes: Hoje se cumpriu esta Escritura em vossos ouvidos.

E todos lhe davam testemunho, e se maravilhavam das palavras de graça que saíam da sua boca; e diziam: Não é este o filho de José?

E ele lhes disse: Sem dúvida me direis este provérbio: Médico, cura-te a ti mesmo: faze também aqui na tua pátria tudo que ouvimos ter sido feito em Capernaum.

E disse: Em verdade vos digo que nenhum profeta é bem recebido na sua pátria.

Em verdade vos digo que muitas viúvas existiam em Israel nos dias de Elias, quando o céu se cerrou por três anos e seis meses, de sorte que em toda a terra houve grande fome; e a nenhuma delas foi enviado Elias, senão a Serepta de Sidom, a uma mulher viúva.

E muitos leprosos havia em Israel no tempo do profeta Eliseu, e nenhum deles foi purificado, senão Naamã, o siro.

1a Crônicas 16:13Vós, semente de Israel, seus servos, vós, filhos de Jacó, seus eleitos.

Isaías 65:9E produzirei descendência a Jacó, e a Judá um herdeiro, que possua os meus montes; e os meus eleitos herdarão a terra e os meus servos habitarão ali.

Isaías 65:15E deixareis o vosso nome aos meus eleitos por maldição; e o Senhor JEOVÁ vos matará; e a seus servos chamará por outro nome.

Isaías 65:22Não edificarão para que outros habitem; não plantarão para que outros comam; porque os dias do meu povo serão como os dias da árvore, e os meus eleitos gozarão das obras das suas mãos até à velhice.

Romanos 9:11porque, não tendo eles ainda nascido, nem tendo feito bem ou mal (para que o propósito de Deus, segundo a eleição, ficasse firme, não por causa das obras, mas por aquele que chama),

Romanos 11:5Assim, pois, também agora neste tempo ficou um resto, segundo a eleição da graça.

Romanos 11:28Assim que, quanto ao evangelho, são inimigos por causa de vós; mas, quanto à eleição, amados por causa dos pais.

Colossenses 3:12Revesti-vos pois, como eleitos de Deus, santos, e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade.

1a Timóteo 5:21Conjuro-te diante de Deus, e do Senhor Jesus Cristo, e dos anjos eleitos, que sem prevenção guardes estas coisas, nada fazendo por parcialidade.

Tito 1:1Paulo, servo de Deus, e apóstolo de Jesus Cristo, segundo a fé dos eleitos de Deus, e o conhecimento da verdade, que é segundo a piedade,

1ª Tessalonicenses 1:4sabendo, amados irmãos, que a vossa eleição é de Deus;

1a Pedro 1:2Eleitos segundo a presciência de Deus Pai, em santificação do Espírito, para a obediência e aspersão do sangue de Jesus Cristo: graça, e paz vos seja multiplicada.

2ª Pedro 1:10Portanto, irmãos, procurai fazer cada vez mais firme a vossa vocação e eleição; porque, fazendo isto, nunca jamais tropeçareis.

Apocalipse 17:14Estes combaterão contra o Cordeiro, e o Cordeiro os vencerá, porque é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; vencerão os que estão com ele, chamados, eleitos, e fiéis.

PREDESTINAÇÃO – textos bíblicos

Romanos 8:29-30Porque os que dantes conheceu também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho; a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos. E aos que predestinou a estes também chamou: e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou.

Efésios 1:5E nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade,

Efésios 1:11Nele, digo, em quem também fomos feitos herança, havendo sido predestinados, conforme o propósito daquele que faz todas as coisas, segundo o conselho da sua vontade;

 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.