MALDIÇÃO SEM CAUSA NÃO VIRÁ (I)

Neste inicio de ano (2008) dois apóstolos modernos lançaram maldições sobre irmãos que saíram de suas igrejas, os quais foram chamados por eles de rebeldes. Um deles proferia bênçãos para aqueles que estavam ao seu lado, mas proferia palavras de morte para aqueles que, por algum motivo, tinham deixado sua liderança, os tais “rebeldes”.

Comecei a pensar sobre o que ouvi e a orar sobre o assunto, buscando em Deus a confirmação ou não de tais palavras, se elas realmente vinham Dele, pois, os apóstolos afirmaram categoricamente que Deus havia falado com eles, quando o Espírito de Deus lembrou-me a Sua Palavra:

Provérbios 26:2 – Como o pássaro no seu vaguear, e como a andorinha no seu vôo, assim a maldição sem causa não virá.

Antes de continuar, permita-me relatar um fato que ocorreu comigo há alguns anos atrás, e tem haver com “Deus me falou”:

Eu e minha esposa estávamos fora do nosso País, em missão, pregando o Evangelho e aconteceu algo com um de nossos parentes muito chegado. Estávamos em paz em relação a aquele assunto, pois sabíamos e críamos que Deus estava no controle, mas nosso Pastor telefonou-nos, muito nervoso, e disse-nos: – Eu e Deus estamos à espera para ver o que vocês irão resolver em relação a esse assunto! Esta expressão “eu e Deus” chocou-nos, porque como disse antes, estávamos descansados em Deus e sabíamos que Ele estava no controle. Então fui orar e perguntei a Deus se aquilo que o meu pastor tinha dito era realmente verdade, se Deus queria saber qual era a nossa posição. Fiquei a espera e finalmente Deus respondeu-me: – Eu não tenho nada haver com isto, é ele quem está à espera, Eu não! Mas você não faça nada, simplesmente obedeça. Foi o que fiz, obedeci, mas tive uma grande lição neste episódio.

Muitas vezes, alguns líderes acabam se colocando no lugar de Deus e pensam que só eles ouvem a Deus, só eles têm intimidade com Deus. Alguns chegam a dizer assim: – se Deus tiver que mandar um recado para a igreja, jamais será através do faxineiro, ou de algum subalterno, a mensagem será enviada diretamente para o gerente, ou seja, o pastor, ou sendo mais moderno o “apóstolo”. Esquecem-se que Deus usa aqueles que estão na brecha, aqueles que têm comunhão com Ele, aqueles que O buscam em espírito e em verdade.

Quando estudamos sobre Autoridade e Submissão, vemos vários exemplos e um deles é o de Moisés, Arão e Miriã – Números 12. Arão e Miriã falaram contra Moisés, e Miriã ficou leprosa por causa disso. Por intercessão de Moisés, Miriã ficou sete dias fora do arraial e Deus tirou a sua lepra. Este e outros exemplos são muito usados por estes líderes tentando impor medo às pessoas, fazendo com que elas fiquem coniventes com seus pecados e com seus erros.

Precisamos ser fiéis a liderança levantada por Deus, por isso ensinamos sobre Autoridade e Submissão, mas jamais poderemos ser coniventes com o pecado. Jamais poderemos nos calar quando vemos a Palavra de Deus sendo vituperada, blasfemada, vilipendiada, agredida sordidamente.

Muitos líderes confundem Autoridade com Autoritarismo, Liderança com Ditadura e acham que a igreja (denominação) é um feudo e que todos os subordinados, ou seja, os pastores, presbíteros, diáconos e irmãos são seus vassalos, que devem prestar vassalagem e se encurvarem quando eles passam. Pensam que a igreja (denominação) é o seu reino e o povo os súditos.

Claro é que, referente à Igreja o regime Ideal não é á democracia, nem o comunismo, nem o presidencialismo, nem o parlamentarismo, estamos num regime Teocrático, onde Deus é o líder supremo e a Palavra de Deus é a nossa Constituição e todos, sem exceção, devem ser submissos.

Quando uma autoridade (líder) não se submete a Deus (Líder Supremo) nem à Sua Palavra (Constituição), ficamos completamente livres para não seguir este líder, nem obedecê-lo, pois ele é desobediente.

Paulo dizia: – Sede meus imitadores, como eu sou de Cristo. Um líder desobediente é imitador de Cristo? Em que ele imita a Cristo? Cristo foi obediente até a morte e morte de cruz. (Filipenses 2:5-11). Estes líderes chamam as pessoas que os abandonam de rebeldes, mas olhando do ponto de vista da Palavra de Deus, quem é o verdadeiro rebelde? Fica fácil entendermos: um líder que não obedece a Deus nem a Sua Palavra é rebelde.

Romanos 13:1-3 – Toda alma esteja sujeita às autoridades superiores; porque não há autoridade que não venha de Deus; e as autoridades que há foram ordenadas por Deus. Por isso, quem resiste à autoridade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos a condenação. Porque os magistrados não são terror para as boas obras, mas para as más. Queres tu, pois, não temer a autoridade? Faze o bem e terás louvor dela.

Devemos seguir o que diz a Palavra de Deus e obedecê-la incondicionalmente. Mas veja: se a autoridade nos mandar negar a Deus e desobedecer a Deus, pecar contra Deus, nós devemos obedecê-la? O Apóstolo Pedro nos dá a resposta:

At. 5:27-29 –  E, trazendo-os, os apresentaram ao conselho. E o sumo sacerdote os interrogou, dizendo: Não vos admoestamos nós expressamente que não ensinásseis nesse nome? E eis que enchestes Jerusalém dessa vossa doutrina e quereis lançar sobre nós o sangue desse homem. Porém, respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Mais importa obedecer a Deus do que aos homens.

Da mesma maneira todo pastor, ou apóstolo, ou bispo, ou profeta, que nos mandar ir contra à Palavra de Deus, vamos desobedecê-lo e sem perigo de maldição. Se qualquer um destes pregar que Deus aprova o divórcio, ou mandar algum marido divorciar de sua esposa, ou o contrário, ou permitir que adúlteros e fornicadores ministrem o louvor em suas igrejas, se qualquer um destes der mais valor ao dinheiro do que as pessoas, e assim por diante, eu vos digo:

“Mais importa obedecer a Deus do que aos homens”.

 

One thought on “MALDIÇÃO SEM CAUSA NÃO VIRÁ (I)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Conteúdo protegido, copia e transcrição necessita autorização do autor