ANDANDO NA GRAÇA - AEMSF

Manifesto pela família

Graça e paz vos sejam multiplicadas

O meu desejo é passar a você a minha inquietação e preocupação com o que está acontecendo com diversos casais cristãos que estão à beira do divórcio, uma preocupação em relação ao que está acontecendo aos casamentos e as famílias dos cristãos, inclusive e ainda mais, dos que servem a Deus.

Este é um manifesto de repúdio ao divórcio e um chamamento de intercessão pelos casamentos e pelas famílias.

O número de divórcios entre cristãos está aumentando cada vez mais e de uma forma preocupante. Parece-me que há uma apatia dos pastores e das igrejas em relação ao assunto e por vezes, em alguns casos mais terríveis, até um incentivo a esse procedimento com a alegação que Deus aprova e aceita.

Há casos de pessoas que chegaram à igreja nessas condições, passaram por tribulações terríveis nessa área e não conheciam o padrão de Deus, ainda que muitos fossem católicos e tenham aprendido que uma vez casados, casados para sempre, porém muitas pessoas sofreram abusos, violência, abandonos com filhos e por não conhecerem a Palavra de Deus não tiveram alternativa a não ser por fim ao seu compromisso. A Palavra de Deus diz que Ele não leva em conta os tempos de ignorância, e não podemos nem devemos pensar que todas as pessoas conheçam ou saibam o que é correto, lembrando que vivemos num mundo com mais de seis bilhões de pessoas e culturas completamente diferentes da nossa, estamos falando de pessoas sem Deus e sem salvação.

Mas, isso se aplica às pessoas que estão dentro da igreja, salvas, conhecedoras da Palavra de Deus e que já até são servos (Pastores, diáconos, etc.)? Creio que não, pois os princípios estabelecidos por Deus são irrevogáveis. O Senhor declarou em Malaquias 3:6a

– Porque eu, o Senhor, não mudo; …

E ainda disse mais em Malaquias 2:13-16

Ainda fazeis isto: cobris o altar do Senhor de lágrimas, de choros e de gemidos; de sorte que ele não olha mais para a oferta, nem a aceitará com prazer da vossa mão.

E dizeis: Por quê? Porque o Senhor foi testemunha entre ti e a mulher da tua mocidade, com a qual tu foste desleal, sendo ela a tua companheira e a mulher do teu concerto.

E não fez ele somente um, sobejando-lhe espírito? E por que somente um? Ele buscava uma semente de piedosos; portanto, guardai-vos em vosso espírito, e ninguém seja desleal para com a mulher da sua mocidade.

Porque o Senhor, Deus de Israel, diz que aborrece o repúdio e aquele que encobre a violência com a sua veste, diz o Senhor dos Exércitos; portanto, guardai-vos em vosso espírito e não sejais desleais.

Há várias referencias bíblicas que deixam clara a posição de Deus em relação ao casamento e em relação ao divórcio. Mas apesar disso, hoje nos deparamos com livros que foram escritos por cristãos e até por pastores em defesa do divórcio e vão buscar alegações no original grego ou hebraico e invocam os costumes da época para confirmação da tese de que o divórcio é aprovado por Deus. Ainda outros livros são escritos para aqueles que divorciaram dando-lhes uma segunda chance e por ai afora, trazendo confusão, engano e abrindo largas portas ao adultério.

É muito estranho ver algumas pessoas que conheci no passado e convivi com suas famílias, marido e mulher, hoje não estão mais juntos, ele casado com outra pessoa e ela também casado com outra pessoa, e todos continuam na mesma denominação exercendo o ministério pastoral. O altar do Senhor está coberto de lágrimas, de choros e gemidos.

Orgulho e vaidade precedem a rebelião, consequentemente a queda, o afastamento de Deus e de Sua Palavra.

Que confusão na mente destas pessoas. Que confusão na mente dos seus filhos, são ensinados de uma forma, mas veem os seus pais praticando tudo o que é contrário a Palavra de Deus.

Senhoras se deixam levar pelo engano, homens perdem o rumo e a liderança. Tornam-se agressivos, amaldiçoadores, gritam por tudo e mais alguma coisa provocando escândalos, assustando os filhos e fazendo-os cada vez mais introspectivos e muitas vezes levando-os a depressão, abrindo brechas a espíritos demoníacos. Ele se afasta de casa, ela fica com os filhos. Ele tem que trabalhar para pagar a pensão e muitas vezes ela ao invés de cuidar dos filhos e ser exemplo e lutar como mulher sábia para reedificar o seu lar vai à procura de outro homem provocando ainda mais confusão e abrindo portas ao adultério. Só para citar um exemplo do que pode ocorrer.

Outro fator que contribui muito para esta degradação são os sogros que podem ser benção ou maldição e muitos logo fazem sua opção e se tornam maldição ao tomarem partido do erro e fazendo com que a situação fique pior e insustentável. Poucos são exemplos como Jetro (Sogro de Moisés) ou tem a sabedoria de Noemi (Sogra de Rute).

O casamento é uma instituição criada por Deus, com regras especificas, mas também é um ser vivo que precisa ser cuidado, alimentado, necessita de investimento diário e jamais pode ser desprezado.

Já o divórcio é um câncer, uma brecha na lei, criado a partir da dureza do coração das pessoas (e muitas pessoas acham que isso pode ser usado a favor ou como desculpa), mas Jesus declarou que ao principio não era assim e Ele veio restaurar o principio das coisas – Mateus 19:4-6.

Ele, porém, respondendo, disse-lhes: Não tendes lido que, no princípio, o Criador os fez macho e fêmea e disse: Portanto, deixará o homem pai e mãe e se unirá à sua mulher, e serão dois numa só carne?

Assim não são mais dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não separe o homem.

Ora como pode aquilo que se tornou um voltar a ser dois?

Jesus Cristo voltou a declarar o que Adão determinou quando foi apresentado a sua esposa Eva. Genesis 2:23-24

E disse o homem: Esta, afinal, é osso dos meus ossos e carne da minha carne; chamar-se-á varoa, porquanto do varão foi tomada.

Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne.

Quando Deus formou a mulher Ele não a fez do mesmo modo que Adão. Veja Genesis 2:18,21-24 e compare com Genesis 2:7. Em 1 Coríntios 11:9,11 diz:

Porque também o homem não foi criado por causa da mulher, e sim a mulher, por causa do homem.

No Senhor, todavia, nem a mulher é independente do homem, nem o homem, independente da mulher.

Não podemos banalizar isto, marido e mulher, espiritualmente falando, não são dois e sim um, uma unidade; e unidade não se divide. Carne da mesma carne, ossos dos mesmos ossos. Divórcio é cortar isso ao meio separando carne e ossos, é uma ferida nunca cicatrizada, uma cena terrível.

O casamento é composto por duas cerimônias: uma no civil e outra no religioso. Em um dia determinado vamos a um Cartório diante de um Juiz de Paz e de testemunhas é lavrado um documento que certifica esta união e assim perante as autoridades, representantes do Estado, que é laico, é reconhecida a união de duas pessoas, a mulher passa a receber o sobrenome do marido, tem documentos mudados, e ambos passam a ter direitos e deveres diante das Leis.

Depois deste ato legal chega a hora ou dia da cerimônia religiosa. Convidamos centenas de pessoas, a noiva tem o seu dia, compra um vestido todo branco assemelhado a uma veste de rainha ou princesa, o homem compra um terno novo, e ambos aparecem diante dos seus convidados, das testemunhas, do celebrante – um sacerdote (um pastor) e de Deus e após a explicação do que estão fazendo ali e qual o significado daquela cerimônia e suas implicações, fazem promessas um ao outro e recebem a benção de Deus e assumem o compromisso diante de Deus e dos homens que aquilo perdurará até que a morte os separe, depois de um tempo de comemoração com todos os convidados esse casal agora vai para uma cerimônia secreta para concretizar a união, onde este pacto, esta aliança, será lavrado com sangue e isso diante de Deus a fim de que dois se tornem um.  E assim é: o que eram dois agora se tornou um com a benção de Deus.

Recentemente estive numa cerimônia de casamento e o pastor fez dois atos interessantes: colocou as alianças uma ao lado da outra e com isso formou o símbolo do infinito ( ∞ ), mostrando que aquela união jamais terá fim, a não ser através da morte. Depois ministrou a santa ceia ao casal, após tomarem o vinho que simboliza o sangue de Jesus Cristo o pastor ordenou que o marido quebrasse a taça, pisando sobre ela, e disse que ninguém mais beberia daquela taça, simbolizando que, jamais, alguém, poderia se interpor entre o marido e a mulher, o corpo dele agora pertence a ela e o dela pertence a ele. Acabou ali qualquer interferência externa. Terminada aquela cerimônia e o período de festa o casal foi para o seu recanto firmar sua aliança. Uma nova vida começou.

Então fica fácil compreender que a velha vida da mulher ou do homem ficou na casa dos pais, ficou para trás e não pode ser trazida para a nova casa. Com exceção dos ensinamentos fundamentados na Palavra de Deus todo o resto deverá ser abandonado, por uma nova vida. Assim sendo as experiências do pai e da mãe: como aplicavam o dinheiro, como geriam a casa, desconfianças, discussões, até mesmo traições, dureza no tratamento, coronelismo, frieza, problemas diversas ficam todos para trás. A alegação de alguns cônjuges: “Mas sempre foi assim na casa dos meus pais, sempre vivemos assim”, se houver este tipo de conversa entre o casal com certeza haverá problemas. Problemas da casa dos pais ficam na casa deles.

Muita gente confunde honrar pai e mãe com escolha entre marido e mulher. Honrar pai e mãe é o primeiro mandamento com promessa, no entanto quando os filhos se casam a Bíblia é muito clara: “deixará pai e mãe e será ambos uma só carne”. Fica o amor, a honra, a gratidão, entretanto a autoridade dos pais acabou no dia da cerimônia de casamento. Quando o pai entregar a filha ao rapaz no altar ao apertar a mão dele, como um acordo de cavalheiros, o pai está passando, está cedendo a sua autoridade sobre a filha para o homem, e se comprometendo a não mais intervir. O novo casal será responsável pelos erros e acertos de sua vida conjugal. Somente em casos extremos e se o casal pedir ajuda os pais poderá intervir, caso contrário se quiserem dar a sua opinião pode ser considerada invasão de privacidade. Muitos casamentos acabaram por causa disso. Poderia dar muitos testemunhos de sogras que se arrependeram do que fizeram.

Vimos que há duas cerimônias, sendo que para os cristãos a segunda é muito mais importante, tanto que é a mais desejada, esperada e a mais cara.

Agora vejamos, jamais poderemos considerar o divórcio como algo normal. Embora tão banalizado, pois em alguns países é feito pela internet e não demora mais do que um minuto. O divórcio é algo legal e não espiritual, tem haver com as leis do país e por isso pode ser tão banalizado ao ponto de ser feito em menos de um minuto pela internet. Sim, o divórcio é algo legal e não espiritual, pois, diante dos homens um casamento poderá findar, mas jamais diante de Deus. Lembre-se que foi feito um juramento diante de Deus e dos homens que duraria até que a morte os separe e um juramento feito diante de Deus e lavrado com sangue é irrevogável.

O que é o Divórcio?

Segundo o dicionário bíblico da SBB:

Dissolução legal do casamento. A lei de Moisés o tolerava se houvesse motivos que o justificassem {#Dt 24.1-4}. No NT é permitido em caso de adultério, na RA e NTLH, {#Mt 5.31-32}; na RC, desquite. {#1Co 7.10-16}.

Basta ver que o casamento é feito com pompa e circunstancia e o divórcio é feito as escondidas e por motivos esdrúxulos, tais como:

– incompatibilidade de ministérios

– mulher possessa de demônios

– incompatibilidade sexual,

– falta de dinheiro ou de provisão financeira

– adultério – aqui está um problema, pois, em alguns trechos da Bíblia diz adultério e em outros prostituição. No entanto, em caso de adultério ainda pode haver o perdão.

– dureza do coração

– antes só do que mal acompanhado

– escolha entre o cônjuge e o deixar pai e mãe – isso se dá mais com as mulheres

Há outros casos que não são esdrúxulos, muito pelo contrário, como violência, agressão física. No entanto nenhuma situação justifica o divórcio, a não ser em caso de prostituição como disse Jesus em Mateus 19:9.

O que é prostituição?

Segundo o dicionário bíblico da SBB:

1) Comércio sexual do corpo {#Os 1.2; Gl 5.19}. A prostituição cultual era praticada na adoração aos deuses da fertilidade, v. Astarote e Baal. Pensava-se que relações sexuais com prostitutas ou prostitutos fariam com que as terras produzissem boas colheitas e os animais tivessem muitas crias {#Dt 23.17-18; 2Rs 23.7}.

2) Figuradamente, infidelidade a Deus {#Jr 3.6-13; Ez 16.1-41}.

A prostituta é alguém que vende o seu corpo para sexo, se alguém descobre que é casado com uma prostituta está livre para o divórcio. Porém se não é esse o caso não há desculpas nem aceitação para o divórcio. E Jesus alertou se alguém casar com a repudiada comete adultério, não há o que refilar. O que a Bíblia diz acerca dos adúlteros? Vejamos Hebreus 13:4

Venerado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula; porém aos que se dão à prostituição e aos adúlteros Deus os julgará.

A prostituição é um pecado contra o próprio corpo e não podemos esquecer que o nosso corpo é o templo do Espírito Santo. 1 Coríntios 6:18

Fugi da prostituição. Todo pecado que o homem comete é fora do corpo; mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo.

Alguém diz e poderá usar o argumento de que no original grego e no hebraico as palavras podem ter outro sentido, porque pode dizer isto ou aquilo. Concordo que pode haver diferenças de tradução, porém nós falamos a língua portuguesa e nossa Bíblia que foi traduzida pelos idos de 1600 por João Ferreira de Almeida diz assim. E se formos ver a Bíblia em Espanhol, Francês, Inglês, só para citar algumas línguas, todas falam da mesma forma.

O casamento é tão precioso que Jesus Cristo o comparou a Igreja, Efésios 5:22-33

Vós, mulheres, sujeitai-vos a vosso marido, como ao Senhor; porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo.

De sorte que, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seu marido.

Vós, maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela, para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra, para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível.

Assim devem os maridos amar a sua própria mulher como a seu próprio corpo. Quem ama a sua mulher ama-se a si mesmo.

Porque nunca ninguém aborreceu a sua própria carne; antes, a alimenta e sustenta, como também o Senhor à igreja; porque somos membros do seu corpo.

Por isso, deixará o homem seu pai e sua mãe e se unirá à sua mulher; e serão dois numa carne.

Grande é este mistério; digo-o, porém, a respeito de Cristo e da igreja.

Assim também vós, cada um em particular ame a sua própria mulher como a si mesmo, e a mulher reverencie o marido.

Pode Cristo ir contra a Sua Palavra? Então por que os que a ensinam vão contra, ensinando e conduzindo seus ouvintes ao erro?

A responsabilidade do marido em relação a sua esposa é semelhante à responsabilidade de Cristo a Igreja, e a responsabilidade da esposa em relação ao marido é semelhante à responsabilidade da Igreja a Cristo. Cristo pode se divorciar da Igreja ou vice-versa? Sou eu quem disse ou escrevi isso?

Venho estudando o que a Palavra de Deus diz acerca da família há muitos anos, como homem tenho responsabilidade para com minha família e como pastor tenho responsabilidade para com a Igreja de Cristo, e por isso veio ao meu coração a seguinte palavra no ano de 2003:

Os casamentos são corrompidos e o que vem logo à razão, quando os problemas surgem: divórcio.

Eu o Senhor, abomino o divórcio, a quebra da aliança. Quem quebra a aliança do casamento, também quebra a aliança comigo.

Eu comparo o casamento com a Igreja: A Igreja é a noiva e Cristo, o noivo, e Ele vem buscar uma noiva imaculada, virgem, sem contaminação, pura e santa. O marido vem buscar sua esposa do mesmo modo que Cristo vem buscar a sua noiva.

A falta de submissão no casamento deve-se ao fato de também não serem submissos a Mim.

A falta de amor no casamento deve-se ao fato de também não amarem a Mim.

O marido deve amar a sua esposa como Cristo amou a Igreja, como? Dando a Sua vida por ela.

Como Eu queria e quero que o meu povo me busque de todo o coração

Tudo o que acontece na Igreja é reflexo do que acontece nos lares. Do mesmo modo como tratam o compromisso, a aliança de sangue, tratam a Mim, de qualquer maneira e sem valorizar a aliança.

Muitas vezes precisamos ser castigados por Deus para voltarmos para Ele. Sem santificação ninguém verá o Senhor.

Queremos que Deus se conforme conosco do jeito que somos. Deus deve se conformar ao sistema mundano em que vivemos, ao nosso modo de vida, aos adultérios, aos divórcios, as quebras de alianças, as más imagens.

As mulheres debaixo de uma capa de fragilidade: não perdoam, são críticas, não se submetem aos seus maridos, ficam magoadas, não fazem o seu papel de adjutora do marido. Os maridos debaixo de uma capa de “machão”: não amam suas esposas, são rudes com elas, não educam os seus filhos, não são sacerdotes do lar. Tudo virou “careta”. A família estar junta diante de Deus virou “careta”.

Dizem por aí, para justificar os erros: “ninguém é perfeito, estamos em obras”. E assim vemos pessoas com vidas imorais, nojentas e porcas sem Deus dentro dos lares. Que Deus tenha misericórdia de nós, mas que venhamos a nos arrepender de nossos pecados urgentemente.

Os maridos voltem para as suas esposas, esposas voltem para os seus maridos, pais voltem aos seus filhos, filhos voltem aos seus pais, e todos voltem ao Senhor.

Como cristãos temos a natureza de Deus, a natureza de filhos de Deus, somos parecidos com Jesus Cristo, ainda que vivendo em um corpo corruptível que voltará ao pó. Mas não somos mais dominados pelo pecado, nem tão pouco vivemos de acordo com a velha vida. Assim o “gênio”, a teimosia, etc. do brasileiro, do alemão, do polaco, do italiano, do português desaparece dando lugar a mente de Cristo.

Deus abomina o divórcio e rejeita aquele que despreza a mulher da sua mocidade. O mau exemplo de muitos pastores tem gerado em suas igrejas a falta de compromisso. Digo em suas igrejas, porque na Igreja do Senhor Jesus Cristo não é assim.

Eu, como pastor, fico envergonhado com essa situação e por isso estou trabalhando para mudá-la alem de orar para que haja uma volta total ao verdadeiro Evangelho de Jesus Cristo.

Precisamos compreender que as crises, as tribulações tem um propósito em nossas vidas e servem para fortalecer a aliança, o pacto. Quantos pactos foram renovados em momento de crise. Como cristãos somos instruídos sobre aflições, sobre a fornalha, sobre o deserto e recebemos muitas informações acerca do assunto, porem quando nos deparamos com o problema a nossa frente parece que nos esquecemos de tudo o que aprendemos. II Coríntios 4:17-18

Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente, não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas.

Recebi por e-mail uma afirmação de uma moça cristã filha de um casal de amigos e acho pertinente transcrevê-la aqui:

A minha visão do que tem acontecido nas famílias ultimamente é: O Plano de Deus para o homem, depois da Salvação que é o mais perfeito, é justamente a família. Tanto que ele compara o relacionamento de Jesus com a Igreja ao casamento. A união do homem e da mulher é algo muito agradável a Deus e é o que mantém uma sociedade saudável e correta diante de Deus, à família é à base da sociedade, uma sociedade com famílias sem estrutura é uma sociedade sem estrutura e esse é o plano de satanás para tentar acabar com o plano de Deus. Nunca as famílias foram tão atacadas como têm sido.

O Pastor Eude Martins (Diretor da SBB) escreveu o seguinte:

O papel principal de responsabilidade que Deus atribui ao homem na família, na igreja ou na comunidade é o de proteção espiritual e moral. Para ser um protetor, você precisa possuir certas qualidades.

1. Força espiritual.

2. Coragem.

3. Determinação.

4. Confiar em Deus.

5. Ser um guardião.

6. Combater as falsas filosofias.

Homem reforce o respeito de sua família. Não é você ser severo e obrigar sua família a demonstrar-lhe respeito. Antes, reforce uma atitude de respeito de sua parte para com sua família.

Às vezes, os pais dizem coisas que rebaixam e humilham seus filhos. Se quiser respeito da parte de sua família, você precisa tratá-la com respeito. O marido precisa merecer respeito. Não confunda medo com respeito.

As prioridades no casamento são muito bem definidas, ir contra esta definição é optar pela desagregação familiar:

1º Deus;

2º Marido/Mulher;

3º Filhos;

4º Casa

Muitas esposas põem: (tem tudo ao contrário)

1º Os Filhos;

2º A Casa;

3º A Deus;

4º O Marido

Muitos maridos põem: (tem tudo ao contrário)

1º O Trabalho;

2º Os Amigos;

3º A Mulher;

4º A Deus

Vários fatores contribuem para o crescimento desenfreado de divórcios. Um estudo do BID afirma que as novelas estão intimamente ligadas a isso, provando que em regiões que aonde as novelas chegam em seguida o numero de divórcios aumentam. Mas, o principal motivo para esta rebelião é o orgulho e a vaidade, o mesmo pecado de satanás. Orgulho e vaidade precedem a queda.

O que fazer quando você começa a achar que seu casamento não terá futuro?

– Procurar os motivos que fizeram chegar a esta conclusão, descobri-los e mudar enquanto ainda há tempo. Casamento não é algo que pode ser quebrado ou mudado ou ainda findado ao sabor do vento e das circunstancias por isso há o tempo de procura e de espera. Está na hora de conversar, sem brigas, sem discussões, e o homem, como um sacerdote do lar, ministrar a palavra de Deus. Se brigar perde a razão, mas um deve mostrar ao outro em que área está sendo infantil, com amor, sem briga, sem discussão, sem sangue quente. Recomendo a leitura do artigo “A lista que salvou meu casamento”

Digo que, por vezes, quando tudo está muito confuso e o outro não cede, quer confusão, briga, intriga, é melhor se afastar e dar tempo ao tempo para que a oração faça efeito, para que a Palavra de Deus possa ter liberdade de agir e o Espírito Santo traga convencimento mostrando assim a justiça e o juízo que vem de Deus. Por quanto tempo? O tempo necessário até que haja resposta. Paulo afirmou em 1 Coríntios 7:5

Não vos defraudeis um ao outro, senão por consentimento mútuo, por algum tempo, para vos aplicardes à oração; e, depois, ajuntai-vos outra vez, para que Satanás vos não tente pela vossa incontinência.

Tenho afirmado, sistematicamente, o que diz a Palavra de Deus em João 11:40

Disse-lhe Jesus: Não te hei dito que, se creres, verás a glória de Deus?

Nada está tão morto que não possa ser ressuscitado. Lázaro estava morto há quatro dias e, no entanto, quando Jesus chegou no tempo determinado, Ele mandou que tirasse a pedra (da duvida, da incredulidade, do orgulho, da vaidade) e ordenou e o morto veio para fora, todo enfaixado, ligado ainda, mas vivo, foi só tirar aquilo tudo e ele pode seguir o seu caminho junto aos seus.

Famílias estão sendo dizimadas por nada. Devemos ficar alertas. O problema não é a esposa, nem o gênio dela. O problema não é o marido, nem o desejo dele de ser machão. O problema é que o diabo está operando para acabar com seu casamento e se você como sacerdote, ou você como mulher sábia não ver isso, não ver que o orgulho e vaidade precedem a rebelião, então está tudo perdido. O vosso orgulho e vaidade se não forem tratados e vencidos provocará o divórcio, não vale a pena.

Divorcio é um câncer miserável que precisa ser tratado com a quimioterapia da Palavra de Deus e um posicionamento a altura contra o inimigo verdadeiro. Tome posição contra o diabo e não contra o seu cônjuge.

A Bíblia diz Provérbios 14:1

Toda mulher sábia edifica a sua casa, mas a tola derriba-a com as suas mãos.

Mas é impressionante a quantidade mulheres tolas destruindo o seu casamento por uma carreira profissional, ou por uma casa, ou por outro homem, ou por seus pais. Como também há homens tolos que desprezam a autoridade dada por Deus, desprezam o seu sacerdócio e desprezam sua paternidade.

A responsabilidade do homem é amar a sua esposa como Cristo amou a Igreja, honrando-a como vaso mais frágil (ainda que elas queiram se igualar), tomando as decisões e trazendo provisão e sustento.

A responsabilidade da mulher é honrar o seu marido, estando ao seu lado como ajudadora e não tomadora de decisões. Note a mulher não precisa amar o seu marido (não há isso escrito), no entanto ela precisa honrar. Claro é que o amor vai estar envolvido na relação também, porque sem o amor nada subsiste.

Tudo se resume em: tanto homens quanto mulheres não querem obedecer a Palavra de Deus, são rebeldes, contradizentes, orgulhos e vaidosos e se levantam contra a autoridade de Deus e contra a autoridade da Sua Palavra e tristemente corroborada por pastores que deturpam os ensinamentos e celebram a iniquidade na igreja.

Mas eu afirmo neste manifesto que este é o tempo de nos levantar, como Igreja do Deus vivo, e intercedermos, levantarmos um clamor:

· Pela família,

· Pela santidade do casamento

· Pelo fim da iniquidade na igreja e pela exposição desses profetas mentirosos

· Pela queda vertiginosa dos divórcios na igreja

·Pela restauração de casamentos destruídos e que ainda tanto um quanto outro esteja na mesma condição do tempo de separação. (Muitos, infelizmente, já se casaram novamente e até já geraram filhos).

Estou praticando o que diz a Palavra de Deus em Mateus 24 e 25 e pregando o Evangelho do Senhor aos três tipos de pessoas;

Aos não salvos

Aos salvos

E aos servos de Deus

Estou levantando esse clamor pelos cristãos, pelos servos de Deus e por suas famílias, isso não se aplica aos ímpios aos que não servem a Deus, nem tão pouco observam a Sua Palavra. A estes vamos pregar o Evangelho para que se arrependam dos seus pecados.

Vamos impedir o avanço do inimigo em Sião, calar a sua voz, restaurar os muros, tapar as brechas, levantar os portões, a fim de que nossa casa sirva ao Senhor e a palavra de Deus se cumpra em nossas vidas.

Família é um projeto de Deus, estabelecido por Deus e por isso ele mesmo é a cabeça. Pois Deus é a cabeça de Cristo, Cristo é a cabeça do marido, o marido a cabeça da mulher, e quando esta hierarquia é quebrada você está se levantando contra o próprio Deus e por isso não pode ter a benção Dele. (1 Coríntios 11:3)

– “Se nos calarmos as pedras clamarão”…

– … “O que Deus ajuntou não o separe o homem” (Marcos 10.9).

– “Antes de casar olhos bem abertos, depois de casar olhos bem fechados”.

– “Hoje ponha a tua casa em ordem”.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Conteúdo protegido, copia e transcrição necessita autorização do autor