JUGO – Opressão do ser Humano

O jugo é uma peça feita de madeira que é utilizada para unir dois bois, para que andem no mesmo compasso enquanto puxam um arado ou uma carroça. É também chamada de canga ou junta de bois (Números 19:2; 1º Samuel 6:7). Era feito de madeira, esculpida a mão, para caber no pescoço e ombros do animal para evitar dor ou desconforto. Na cultura antiga, a palavra jugo era um termo usado para descrever a submissão, autoridade, domínio, sujeição. Então, quando alguém foi descrito como sendo ligado a alguém ou algo, comunica a ideia de que ele ou ela estava em submissão a essa pessoa ou coisa. Num sentido figurado pode ser domínio, opressão (Gênesis 27:40; Jeremias 28:2; Gálatas 5:1}; sofrimento (Lamentações 3:27); obediência (Mateus 11:29-30); aliança (2º Coríntios 6:14); trabalho (Filipenses 4:3). Exemplos: “Em alguns países que cultuam o islamismo é claramente observado o pesado jugo ao qual são submetidas às mulheres”.

Representa a ideia de opressão do ser humano – uma pessoa se submete a um jugo quando alguém exerce o poder sobre o seu livre arbítrio. Na linguagem cotidiana, emprega-se este termo para expressar situações de exploração e submissão. Consequentemente, tudo aquilo que restringe a liberdade pode ser considerado um jugo. O escravo vivia sob o jugo do seu senhor” – os escravos, muitas vezes, usavam jugos para carregar fardos pesados. Por isso, o jugo era usado simbolicamente para representar escravidão ou sujeição a uma pessoa, bem como opressão e sofrimento. Remover ou quebrar um jugo significava a libertação da servidão, opressão e exploração.

Também era uma espécie de forca, por baixo da qual os romanos faziam passar os inimigos vencidos nas batalhas. Na área da política, o jugo equivale a qualquer governo ditatorial que age pelo uso da força e exerce o poder de maneira despótica e totalitária.

Assim como a manipulação, o jugo também é uma manifestação comumente associada à mentira, consequentemente associado ao seu pai, o diabo (João 8:44). Esse ser ardiloso é trapaceiro, falso e trata com falsidade, enganador (o que engana ou desaponta ou trai alguém), ludribriador, fraudador, o que leva sistematematicamente ao erro. Num sentido espiritual, jugo é a opressão que uma pessoa carrega quando está dominada por seus próprios problemas, como enfermidades, vícios, dívidas, etc.

Também pode ser o domínio e a opressão de um manipulador sobre o manipulado, provocando servidão. O mundo e seu sistema está debaixo do jugo do maligno, consequentemente manipulados pelos governos, autoridades e os poderes que dominam completamente este mundo de escuridão (forças espirituais do mal que vivem nas alturas), e apesar de não lutarmos contra seres humanos, enxergamos o dominio dessas forças espirituais do mal nos manipuladores.

O jugo também é considerado o peso do pecado de uma pessoa que não tem Cristo ou que se deixa dominar pelas tentações mundanas, evitando a vida mais purificada que Cristo propõe. Segundo Mateus (Mateus 11: 28-30) Jesus chama a todos que estão oprimidos para irem até Ele: Venham para mim todos vocês que estão cansados de carregar o peso do seu fardo, e eu lhe darei descanso. Carreguem a minha carga e aprendam de mim, porque sou manso e humilde de coração, e vocês encontrarão descanso para suas vidas. Porque a minha carga é suave e o meu fardo é leve.

Qual foi o jugo de Jesus referenciado na Bíblia? Nos tempos bíblicos, era um termo familiar para a maioria das pessoas, por isso Jesus mencionou em sua parábola. Foi concebido como uma designação de servidão, carregar o fardo de uma tarefa ou missão – o jugo de Jesus. Quando Jesus disse: “Toma o meu jugo sobre ti” (Mateus 11:29), quis dizer que devemos nos submeter a Ele todos os dias, em todos os sentidos. Ser ligado a Jesus é servir e obedecer. Considere isto: todos estão ligados a alguém ou algo – a questão é: a quem ou o que você quer ser ligado? Alguns estão ligados ao poder do pecado, estão sob o seu controle; alguns estão presos em um relacionamento com os incrédulos, e a Bíblia adverte muito especificamente contra isso (2ª Coríntios 6:14).

Queremos ser libertos do jugo da opressão? Jesus nos encoraja a assumir o seu jugo – “Leva o meu jugo sobre ti e aprenda comigo. O meu jugo é fácil e o meu fardo é leve”.

Mas porque é que não evitaríamos o Seu jugo e faríamos as nossas próprias escolhas? Há um conforto em ser “ligado” a algo ou alguém, quando é uma entidade benevolente. Jesus está nos oferecendo uma oportunidade de aprender com Ele e servir a um propósito justo tornando as nossas vidas mais fáceis e significativas.

Vamos considerar o contexto das palavras de Jesus – dois bois são escolhidos para partilhar um jugo. O primeiro é um boi experiente mais velho, treinado e resistente pelos anos de rotina. O segundo é um boi jovem, tem potencial, mas é inexperiente. Compartilhando o mesmo jugo, o veterano, o mais velho treina o mais jovem. Não é só isso, mas o experimentado suporta a maior parte da carga. Uma vez que o mais velho lidera, o boi mais jovem não precisa perguntar o que fazer, ele aprende com seu mentor e ganha o conhecimento e habilidade para ensinar aos outros.

Isso assemelha-se muito ao discipulado – Jesus nos convida a “aprender sobre Ele”, que é outra maneira de afirmar ”seja Meu discípulo”. Há paz em não termos de descobrir a vida sozinhos. Há garantias à medida que O seguimos.

Jesus também declara que seu jugo é fácil. A palavra “fácil” aqui não implica “simples”, mas “bom”. Se estou ligado a Jesus, há paz em ser ligado a alguém bom, amoroso e paciente. “Entra no jugo comigo. Deixa-me ensinar-te. Vou carregar o peso do teu fardo. O meu jugo é bom e encontrarás descanso e companhia, juntos no nosso trabalho”.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.