O Reino de Deus e a Família

O nível de nossas igrejas nunca irá superar o nível de nossos lares. Assim como for o lar cristão assim será a vida da igreja, pois a igreja é uma extensão da vida em família.

Em I Cor. 11:3, temos claramente expresso o padrão de Deus para a família cristã: “Mas quero que entendam que Cristo tem autoridade sobre todo marido, que o marido tem autoridade sobre a esposa e que Deus tem autoridade sobre Cristo.”

O nosso Deus é um Deus é um Deus de ordem e todo o Seu universo está firmado sobre bases sólidas de governo e autoridade. Se assim não fosse, o mundo estaria virado num caos.

Também a família existe nestas bases, e de todas as instituições de Deus, ela foi a primeira, e por ser a primeira, é a peça fundamental do governo de Deus na igreja e na sociedade.

Podemos colocar este padrão desta forma:

DEUS PAI – fonte suprema de autoridade. Criador e sustentador do universo

CRISTO – o Filho que  recebeu toda a autoridade. O Senhor da Família. O “cabeça”  do marido.

MARIDO – o “cabeça” e autoridade principal sobre os filhos

ESPOSA – a “auxiliadora” do marido – Autoridade secundária sobre os filhos

FILHOS – Obedientes aos pais

Mt. 28:18 – “Então Jesus chegou perto deles e disse: —Deus me deu todo o poder no céu e na terra.”

Gn. 2:18 – “Depois o Senhor disse: – Não é bom que o homem viva sozinho. Vou fazer para ele alguém que o ajude como se fosse a sua outra metade.”

Cl. 3:20 – “Filhos, o dever cristão de vocês é obedecer sempre ao seu pai e à sua mãe porque Deus gosta disso.”

É muitíssimo importante que reconheçamos e fixemos com nitidez em nossa mente esta estrutura divina para o lar. São os desvios destes claros padrões da Palavra que ocasionam toda sorte de desajustamentos nas famílias.

O marido, pois, está diretamente sob a autoridade de Cristo, e é o responsável perante Deus pelo governo e cuidado da família.

A esposa está sob a autoridade do marido e é responsável perante ele pelo modo como cuida da casa e dos filhos.

Os filhos vivem sob a autoridade do pai e da mãe, todavia, a autoridade sobre os filhos é essencialmente uma, aquela que vem de Deus, via marido e via esposa. A autoridade, assim, delegada por Cristo ao marido, e este, na sua ausência do lar, delega a autoridade à esposa, que a executa em nome e no lugar do marido.

Deus instituiu o lar para ser uma expressão em miniatura do Seu reino dentro das quatro paredes da nossa casa. O marido que assume suas funções responsavelmente, a mulher que submete-se à este padrão divino, os filhos que tem prazer em obedecer seus pais, sim, a família toda está criando as condições ideais para que o Senhor Jesus reine com poder, glória e graça em seu lar.

Problemas e desajustes graves surgem simplesmente porque este claro padrão divino não está sendo observado, por exemplo, num lar onde todos querem mandar ao mesmo tempo.

Alguém falou que o nível de nossas igrejas nunca irá superar o nível de nossos lares. Assim como for o lar cristão assim será a vida da igreja, pois a igreja é uma extensão da vida em família. “Lares fortes, igrejas fortes”

AS FUNÇÕES DA ESPOSA

Textos bíblicos importantes:

Gn. 2:18-25 – “Depois o Senhor disse: – Não é bom que o homem viva sozinho. Vou fazer para ele alguém que o ajude como se fosse a sua outra metade. Depois que o Senhor Deus formou da terra todos os animais selvagens e todas as aves, ele os levou ao homem para que pusesse nome neles. E eles ficaram com o nome que o homem lhes deu. Ele pôs nomes nas aves e em todos os animais domésticos e selvagens. Mas para Adão não se achava uma ajudadora que fosse como a sua outra metade. Então o Senhor Deus fez com que o homem caísse num sono profundo. Enquanto ele dormia, Deus tirou uma das suas costelas e fechou a carne naquele lugar. Dessa costela o Senhor formou uma mulher e a levou ao homem. Então o homem disse: “Agora sim! Esta é carne da minha carne e osso dos meus ossos. Ela será chamada de ‘mulher’ porque Deus a tirou do homem.” É por isso que o homem deixa o seu pai e a sua mãe para se unir com a sua mulher, e os dois se tornam uma só pessoa.

Tanto o homem como a sua mulher estavam nus, mas não sentiam vergonha.”

Gn. 3:16 – “Para a mulher Deus disse: —Vou aumentar o seu sofrimento na gravidez, e com muita dor você dará à luz filhos. Apesar disso, você terá desejo de estar com o seu marido, e ele a dominará.”

Pv. 31:10-31 – “Como é difícil encontrar uma boa esposa! Ela vale mais do que pedras preciosas! O seu marido confia nela e nunca ficará pobre. Em todos os dias da sua vida, ela só lhe faz o bem e nunca o mal. Está sempre ocupada, fazendo roupas de lã e de linho. De lugares distantes ela traz comida para casa, como fazem os navios que carregam mercadorias. Ela se levanta de madrugada para preparar comida para a família e para dar ordens às empregadas. Examina e compra uma propriedade com o dinheiro que ganhou e faz nela uma plantação de uvas. É esforçada, forte e trabalhadora. Conhece o valor de tudo o que faz e trabalha até tarde da noite. Ela prepara fios de lã e de linho para tecer as suas próprias roupas. Ajuda os pobres e os necessitados. Quando faz muito frio, ela não se preocupa, porque a sua família tem agasalhos para vestir. Faz cobertas e usa roupas de linho e de outros tecidos finos. O seu marido é estimado por todos; é um dos principais cidadãos do lugar. Ela faz roupas e cintos para vender aos comerciantes. É forte, respeitada e não tem medo do futuro. Fala com sabedoria e delicadeza. Ela nunca tem preguiça e está sempre cuidando da sua família. Os seus filhos a respeitam e falam bem dela, e o seu marido a elogia. Ele diz: “Muitas mulheres são boas esposas, mas você é a melhor de todas.” A formosura é uma ilusão, e a beleza acaba, mas a mulher que teme o Senhor Deus ser á  elogiada. Dêem a ela o que merece por tudo o que faz, e que seja elogiada por todos.”

I Co. 11:7 – “O homem não precisa cobrir a cabeça, pois ele reflete a imagem e a glória de Deus. Mas a mulher reflete a glória do homem,”

Ef. 5:22-24 – “Esposa, obedeça ao seu marido, como você obedece ao Senhor. Pois o marido tem autoridade sobre a esposa, assim como Cristo tem autoridade sobre a Igreja. E o próprio Cristo é o Salvador da Igreja, que é o seu corpo. Portanto, assim como a Igreja é obediente a Cristo, assim também a esposa deve obedecer em tudo ao seu marido.”

I Tm. 2:11-15 –  “As mulheres devem aprender em silêncio e com toda a humildade. Não permito que as mulheres ensinem ou tenham autoridade sobre os homens; elas devem ficar em silêncio. Pois Adão foi criado primeiro, e depois Eva. E não foi Adão quem foi enganado; a mulher é que foi enganada e desobedeceu à lei de Deus. Mas a mulher será salva tendo filhos se ela, com pureza, continuar na fé, no amor e na dedicação a Deus.”

I Pd. 3:1-6 – “Assim também você, esposa, deve obedecer ao seu marido a fim de que, se ele não crê na mensagem de Deus, seja levado a crer pelo modo de você agir. Não será preciso dizer nada porque ele verá como a conduta de você é honesta e respeitosa. Não procure ficar bonita usando enfeites, penteados exagerados, jóias ou vestidos caros. Pelo contrário, a beleza de você deve estar no coração, pois ela não se perde; ela é a beleza de um espírito calmo e delicado, que tem muito valor para Deus. Porque era assim que costumavam se enfeitar as mulheres do passado, as mulheres que eram dedicadas a Deus e que punham a sua esperança nele. Elas eram obedientes ao seu marido. Sara foi assim; ela obedecia a Abraão e o chamava de “meu Senhor”. Você será agora sua filha se praticar o bem e não tiver medo de nada.”

Analisando estes textos bíblicos percebe-se que uma das maiores ênfases às mulheres está no submeterem-se aos seus maridos. Se todas as mulheres compreendessem isto estariam mais dispostas à serem submissas.

Deus colocou as mulheres numa posição de vital importância dentro do lar. A mulher é um elo de união entre o marido e os filhos. Quando ela vive de acordo com o padrão divino, o marido e os filhos serão mais beneficiados, pois ficarão mais propensos a se enquadrarem neste padrão.

Alguém disse: “a simples idéia de submeter-se ou de viver em submissão provoca em muitas mulheres uma verdadeira onda de negativismo, pois para elas, ser submissas equivale a ser um capacho inerte e destituído de significado ou valor. Porém, nada há mais errado do que isto.

“Submeter-se é render obediência humilde e inteligente a uma pessoa que foi investida de poder e de autoridade”

Não faz assim a Igreja para com Cristo? Submete-se à Sua direção e governo e passa a experimentar a grande benção e glória que vem deste relacionamento.

Ao invés de ser um fardo ou uma forma de escravidão, a submissão vem trazer tranqüilidade, proteção e segurança para a mulher.

Este padrão foi colocado por Deus para que houvesse harmonia no lar e para poupar a mulher de muitos duros embates da vida.

Col. 3:18 – “Esposa, obedeça ao seu marido, pois é o que você deve fazer por ser cristã.”

Muitas vezes medimos a fidelidade de Deus e nos esquecemos de medir a nossa fidelidade a Ele. Cobramos muito a Deus às Suas respostas, as Suas promessas. Porém não cobramos a nós próprios uma vida de santidade, uma vida de arrependimento.

Queremos que Deus nos responda, mas nós não respondemos a Deus quando Ele nos chama a orar, a meditar, a ter comunhão com Ele.

Temos pequenos momentos que damos de esmola a Deus, no nosso precioso tempo que está todo ocupado conosco mesmo.

Tudo gira em torno de nós próprios: o nosso emprego, a nossa família, o nosso salário, etc…

Para que alguém possa dedicar-se exclusivamente a Deus, muitas vezes isto acontece só quando perde tudo, quando vamos para a “prisão”, quando vamos para a “fornalha”, quando vamos para a “cova dos leões”. Muitas vezes temos de ser castigados por Deus para nos voltarmos para Ele.

Sem santificação ninguém verá o Senhor.

Queremos que Deus se conforme conosco do jeito que somos. Deus deve se conformar ao sistema mundano em que vivemos, ao nosso modo de vida, aos adultérios, aos divórcios, as quebras de alianças, as más imagens.

As mulheres debaixo de uma capa de fragilidade: não perdoam, são críticas, não se submetem aos seus maridos, ficam magoadas, não fazem o seu papel de adjutora do marido.

Os maridos debaixo de uma capa de “machão”: não amam suas esposas, são rudes com elas, não educam os seus filhos, não são sacerdotes do lar.

Hoje os vídeos, a TV, os videojogos, os computadores, tomam todo o tempo da meditação diária, de orarem juntos, da comunhão com Deus.

Tudo virou “careta”. A família estar junta diante de Deus virou “careta”

Disse por aí nos nossos dias, para justificar os erros: “ninguém é perfeito, estamos em obras”. E assim vamos vivendo as nossas vidas imorais, nojentas e porcas sem Deus dentro dos nossos lares.

Que Deus tenha misericórdia de nós, mas que nós venhamos a nos arrepender de nossos pecados urgentemente.

Os maridos voltem-se para as suas esposas, esposas voltem-se para os seus maridos, pais voltem-se aos seus filhos, filhos voltem-se aos seus pais, e todos voltem-se ao Senhor.

O Senhor abomina o divórcio, a quebra da aliança. Quem quebra a aliança do casamento, também quebra a aliança com Deus.

É comparado o casamento com a Igreja:  A Igreja é a noiva e Cristo, o noivo, vem buscar uma noiva imaculada, virgem, sem contaminação, pura e santa.

O marido vem buscar sua esposa do mesmo modo que Cristo vem buscar a sua noiva.

A falta de submissão no casamento deve-se ao fato de também não serem submissos a Deus. A falta de amor no casamento deve-se ao fato de também não amarem a Deus.

O marido deve amar a sua esposa como Cristo amou a Igreja, como? Dando a Sua vida por ela.

Ou seja, tudo o que acontece na Igreja é o reflexo do que acontece nos lares.

Do mesmo modo como tratam o compromisso, a aliança de sangue, tratam a Deus: de qualquer maneira e sem valorizar o compromisso.

Como Deus quer que o Seu povo O busque de todo o coração!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Conteúdo protegido, copia e transcrição necessita autorização do autor